Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
Wimbledon
  1. Tênis

Wimbledon: Prévia dia 13 - Vondrousova e Jabeur no confronto final

Uma nova campeã de simples femininos em Wimbledon será coroada no dia 13 do torneio, com Marketa Vondrousova e Ons Jabeur se enfrentando na quadra central a partir das 10h00.

Leia todas as nossas prévias diárias do torneio de simples feminino deste ano.

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

Dia 13: A decisão final

Esta é a segunda final consecutiva de Jabeur em Wimbledon e ela vai tentar compensar a derrota do ano passado para Elena Rybakina, enquanto a às tcheca Vondrousova já pode comemorar ser a primeira finalista feminina de Wimbledon sem ser cabeça de chave na Era Aberta.

O quê: Marketa Vondrousova vs Ons Jabeur
Onde: All England Club, Londres (Inglaterra)
Quando: sábado, 15 de julho de 2023, às 10h00 de Brasília
Como assistir: ESPN, Sportv, Star+
Cotações: Marketa Vondrousova = 2,87 / Ons Jabeur = 1,44

Jabeur determinada em Wimbledon

Em 2022, a tunisiana se tornou a primeira árabe a chegar a uma final importante de simples, mas o Grand Slam britânico acabou com uma experiência desanimadora. Contra Rybakina na quadra central, Jabeur entrou bem e venceu o primeiro set, mas depois tudo se desmoronou e ela acabou perdendo a final de simples feminina pelas parciais de 3-6, 6-2 e 6-2. 

Este ano, no entanto, parece que Jabeur está bem determinada a quebrar o tabu e, com certeza, espera que na terceira chance o sonho se concretize, já que ela também perdeu outra final de Grand Slam, no US Open no ano passado. 

Vale a pena destacar a qualidade das adversárias eliminadas por Jabeur no All England Club este mês. Nas últimas três rodadas, a jogadora de 28 anos venceu Petra Kvitova (nona cabeça-de-chave), Elena Rybakina (atual campeã e terceira cabeça-de-chave) e Aryna Sabalenka (segunda cabeça-de-chave). 

Ela é a primeira mulher a derrotar três jogadoras no top 10 em Wimbledon desde Serena Williams em 2012 e mostrou uma determinação e força mental incríveis em seus dois últimos duelos. Contra Rybakina e Sabalenka, Jabeur se recuperou de perder o primeiro set no tiebreak e contra a bielorrussa ela esteve mesmo a dois games da derrota geral, mas conseguiu reencontrar sua confiança e cravar uma incrível virada, por 6-7, 6-4 e 6-3. 

Essa mentalidade vencedora é, sem dúvida, uma mais-valia e a grande justificação para seu favoritismo para vencer a final de simples feminina de Wimbledon em sua segunda tentativa.

Vondrousova quer continuar bom desempenho

Jabeur teve uma campanha excelente em Wimbledon desde o último ano, mas a ascensão da estrela tcheca Vondrousova também é impressionante.

O calibre das jogadoras que ela derrotou pode não ser tão alto quanto as adversárias de Jabeur, mas ela parecia implacável em sua vitória por duplo 6-3 sobre a também surpreendente semifinalista Elina Svitolina, e na fase anterior ela tinha eliminado a quarta cabeça-de-chave Jessica Pegula. 

A canhota é a primeira finalista feminina de Wimbledon fora das cabeças de chave na Era Aberta, o que já é um feito, mas sabe que as odds estão contra ela nesta final. Vondrousova joga um estilo de tênis semelhante ao de Jabeur, contando com força desde a linha da frente, mas uma área em que ela leva vantagem são os recentes encontros entre as duas tenistas.

O confronto direto entre ambas está em 3-3 e Jabeur venceu o único encontro na grama, mas em ambos os confrontos deste ano, em Indian Wells e no Aberto da Austrália, Vondrousova levou a melhor e isso pode ser um fator a seu favor. 

Duelo acirrado

Apesar do recorde recente de Vondrousova, Jabeur segue sendo a favorita, dadas suas recentes exibições nesta superfície.

Os preparativos da tunisiana para Wimbledon este ano foram bastante modestos, pois ela perdeu sua única partida no Aberto da Alemanha e caiu nas oitavas de final do Eastbourne International - mas no All England Club ela se apresenta bem diferente e mais forte. 

Jabeur venceu 12 de suas últimas 13 partidas no torneio de simples femininos em Wimbledon e, embora tenha perdido sets em suas duas últimas partidas, contra Elena Rybakina e Aryna Sabalenka, vale lembrar que essas partidas foram contra duas das três melhores do mundo. 

Uma vitória em sets diretos para Jabeur tem odds de 2,20, mas pode ser difícil frente a uma Vondrousova que mostrou no recente confronto direto poder jogar de igual com a tunisiana.

Lembramos que tTrês das últimas quatro partidas de Jabeur foram disputadas em três sets e isso também aconteceu na final do ano passado, quando ela enfrentou Rybakina.

Dia 12: Descanso antes da decisão

Após vencerem suas respetivas semifinais, Marketa Vondrousova e Ons Jabeur, têm um dia de descanso esta sexta-feira, em preparação para a grande final de simples femininos que está agendada para sábado, ainda com horário por definir.

Saiba como foram as partidas das semifinais na nossa revisão do dia 11.

Mas a ação em Wimbledon não pára e o dia será preenchido pelas semifinais masculinas. Verifique nossa prévia aqui.

Dia 9: Início das quartas de final

Partidas da chave simples feminina (Dia 9)Horário (Brasília)Quadra
Jessica Pegula (4) vs. Marketa Vondrousová 09:00*Quadra 1
Iga Swiatek (1) vs. Elina Svitolina 09:30*Quadra Central

*Hora aproximada

Neste início das quartas de final, o destaque vai para a partida da número um do circuito, Iga Swiatek. Pela primeira vez em sua carreira, a polonesa chegou até esta fase no torneio londrino e sabe que tem uma grande oportunidade de lutar por um título inédito em Wimbledon. 

Iga vai enfrentar a surpreendente Elina Svitolina, que chegou às quartas de final depois de um caminho sem partidas fáceis. Ela derrotou Venus Williams na primeira rodada, Elise Mertens na segunda, Sofia Kenin na terceira e acabou de vencer seu duelo mais recente contra Victoria Azárenka. Tudo isso com apenas dois sets perdidos e sendo muito assertiva, especialmente com seu saque. 

No entanto, o nível de dificuldade aumenta agora, já que a ucraniana vai enfrentar uma tenista que, aos 22 anos, já venceu quatro Grand Slams, tendo chegado a cinco semifinais nesses torneios. A experiência da polonesa claramente joga a seu favor, contra uma Svitolina que nunca sequer chegou na final de um major, e não chegava tão longe em Wimbledon desde 2019. 

Além disso, embora Swiatek não tenha tanto sucesso na grama quanto em outras superfícies, não há como duvidar de seu crescimento na grama de Londres este ano. Ela só cedeu um set nesta edição do torneio, e chega depois de uma recuperação impressionante contra Belinda Bencic, onde esteve perto de perder a partida no segundo set. 

Por todos esses motivos, ela é favorita, com 1,12 de odds, para chegar às semifinais e começar a vislumbrar sua primeira final no All England Club.

Na outra partida do dia, Jessica Pegula é a favorita à vitória contra Marketa Vondrousová. 

A norte-americana ocupa a quarta posição no ranking mundial e é, sem dúvida, a jogadora mais consistente em Wimbledon no momento. Ela venceu três vezes seguidas sem perder um único set, perdendo apenas quatro ou cinco games em cada partida. 

No entanto, vale notar que ela ainda não enfrentou nenhuma das principais cabeças de chave do torneio e isso pode prejudicá-la a longo prazo.

Vondrousová, por sua vez, eliminou três cabeças de chave sucessivas e está tentando surpreender de novo e chegar às semifinais em Wimbledon. A tcheca também está jogando em alto nível e se espera uma disputa acirrada no duelo desta manhã com Pegula.

Dia 8: Bia vai brigar

A representante brasileira em Wimbledon em simples femininos, Beatriz Haddad Maia, vai defrontar esta segunda-feira a atual campeã do torneio, Elena Rybakina, em jogo das oitavas de final.

Estas duas tenistas se defrontaram por duas vezes em 2023, com duas vitórias de Bia. A primeira nas quartas de final de Abu Dhabi, de virada, e a segunda, no início da temporada de saibro, em Stuttgart, com a cazaque a se retirar no segundo set por lesão.

Esta será a primeira vez que Bia e Rybakina se encontram em grama, com a brasileira, número 13 do ranking, a tentar a sua 10ª vitória contra tenistas do top 10, a cazaque é atualmente a número 3.

Bia pode subir ao top 10 se chegar às semifinais no All England Club. Mas não será fácil, para além de ter que eliminar Rybakina, ela depois terá que vencer contra Petra Kvitová, bicampeã de Wimbledon, ou Ons Jabeur, finalista no ano passado.

Madison Keys vai enfrentar a grande surpresa do torneio, Mirra Anndreeva, que chegou às oitavas após ter iniciado nas qualificatórias. A tenista americana é favorita, mais ainda por não ter perdido qualquer set nas suas três primeiras rodadas.

Aryna Sabalenka é outra candidata a brigar pelo título, com uma adversária teoricamente inferior esta segunda-feira, Yekaterina Aleksandrova. A russa tem como motivação as três vitórias contra Sabalanka, duas delas nos últimos dois encontros e o último em grama.

A bielorrussa tem um palmarés superior e em 2023 venceu 35 das 42 partidas que disputou, vencendo três títulos e chegando a mais duas outras finais. Teoricamente deverá vencer, mas a surpresa não é impossível.

Finalmente, Ons Jabeur e Petra Kvitová, serão as protagonistas de um dos encontros mais interessantes das oitavas de final. A tunisina é favorita pela sua posição no ranking WTA, mas não pode esquecer toda a experiência da checa nestes grandes torneios, ela que já venceu em Wimbledon por duas vezes (em 2010 e 2014).

Dia 7: Oitavas de final começam

Este domingo decorrem as primeiras quatro partidas das oitavas de final de Wimbledon em simples femininos. O grande encontro do dia será entre Iga Swiatek e Belinda Bencic. A tenista polonesa terá uma missão muito complicada para passar às quartas de final.

A número um do ranking WTA tenta ter mais sucesso em uma superfície que não é a sua favorita. Ela começou bem ao passar nas três primeiras rodadas sem perder um único set. Mas este domingo terá do outro lado da quadra a número 14 mundial, uma tenista que ela venceu nas duas vezes em que se defrontaram em 2023.

Bencic vai tentar a zebra contra a polonesa que está em grande forma em uma superfície que não é a melhor para si. Swiatek venceu o Aberto de França e tudo vai fazer para vencer em Wimbledon pela primeira vez.

Markéta Vondrousová e Marie Bouzková vão abrir as partidas das oitavas. As duas tenistas checas terão certamente um encontro muito equilibrado. Porém, Bouzková tem um ligeiro favoritismo, muito pela vitória que conseguiu contra a número cinco mundial, Caroline Garcia, na rodada anterior.

Jessica Pegula também vai brigar por um lugar nas quartas com a ucraniana Lesia Tsurenko, número 60 do mundo. A americana é favorita a vencer esta partida e continuar na briga para vencer o título no All England Club, mesmo após três rodadas com momentos altos e baixos.

Por último, Victoria Azarenka vai brigar com Elena Svitolina. Azarenka tem mostrado muita regularidade, em especial após eliminar Daria Kasatkina na terceira rodada. Svitolina eliminou Sofia Kenin sem problemas.

Para além das quatro partidas das oitavas, teremos este domingo o encontro da terceira ronda entre as tenistas russas Anastasia Potapova e Mirra Andreeva, que foi adiado devido à chuva.

Dia 6: Bia busca vaga nas oitavas

O quê: Dia 6 de Wimbledon 2023 (simples femininos)
Onde: All England Club, Londres (Inglaterra)
Quando: Sábado, 8 de julho de 2023
Como assistir: ESPN, Sportv, Star+
Cotações:Iga Swaitek = 2,87 / Elena Rybakina = 4,33 / Aryna Sabalenka = 4,33 / Ons Jabeur = 11,00 / Petra Kvitova = 15,00 

Beatriz Haddad Maia entra em quadra para enfrentar Sorana Cirstea na terceira rodada de Wimbledon e se prevê um confronto bem acirrado.

Ambas passaram por duas partidas de três sets e esta partida pode ser mais um teste de sua resistência mental. A número 1 do Brasil venceu de virada as duas primeiras partidas, contra Yulia Putintseva e Jaqueline Cristian, enquanto Cirstea foi recuperou para vencer no terceiro set contra Tatjana Maria e Jelena Ostapenko. 

Talvez por isso as odds são de 2,10 para que essa disputa da terceira rodada siga o mesmo caminho e tenha três sets, mas o favoritismo está com a canhota paulistana, com odds de 1,66 para vencer. As duas tenistas já se enfrentaram cinco vezes antes, com vantagem da romena que venceu em quatro ocasiões. 

Outro destaque do dia é a partida entre Anna Blinkova e Aryna Sabalenka, uma das favoritas à vitória no torneio. A bielorrussa quer chegar às oitavas de final sem os problemas que teve na sexta-feira, quando perdeu o primeiro set para Varvara Gracheva. 

Também não podemos deixar de referir Ons Jabeur, que está se sentindo melhor em quadra, após alguns meses ofuscada por lesões. Em suas duas primeiras partidas, a tunisiana dominou suas adversárias e não cedeu um único set. 

Hoje, ela enfrenta Bianca Andreescu, que espera dificultar as coisas para a cabeça-de-chave número 6. 

A jovem russa Mirra Andreeva também merece especial atenção. Com apenas 16 anos, ela chegou à terceira rodada após a desistência de Barbora Krejcikova e vai enfrentar sua compatriota Anastasia Potapova por uma vaga na quarta rodada. 

Já a campeã em título, Elena Rybakina, fecha a ação do dia frente a Katie Boulter, número 89 do ranking da WTA. A tenista local terá todo o apoio da torcida, sendo a única britânica, em simples femininos ou masculinos, ainda presente no torneio.

Dia 5: Muitas caras conhecidas

O quê:Dia 5 de Wimbledon 2023 (simples femininos)
Onde:All England Club, Londres
Quando:sexta-feira dia 7 de julho
Como assistir:ESPN, Sportv, Star+

Esta sexta-feira será mais um dia para tentar deixar em dia todos os encontros em atraso, com as surpresas negativas a surgirem com a eliminação de nomes como Barbora Krejcikova, Karolína Muchová, Elise Mertens e Veronica Kudermetova.

Entre os encontros em atraso da segunda rodada está aquele que coloca na mesma quadra Paula Badosa e Marta Kostyuk. A espanhola é teoricamente favorita, ainda mais porque eliminou na primeira rodada uma tenista superior, Alison Riske. 

Porém, a ucraniana conseguiu uma das grandes surpresas a rodada inicial, ao eliminar a grega Maria Sakkari.

Também esta sexta-feira se inicia a rodada três, onde se destaca a partida da grande favorita a vencer o torneio de grama em Londres, Iga Swiatek. A polonesa vai jogar na quadra central contra Petra Martic.

A americana Jessica Pegula, candidata a brigar com Swiatek pelo título, vai defrontar Elisabetta Cocciaretto e Caroline Garcia terá pela frente a checa Marie Bouzková.

Tem ainda mais dois encontros interessantes entre Daria Kasátkina (11) e Victoria Azárenka (19) e entre Belinda Bencic e Magda Linette.

Dia 4: Bia retorna à quadra

Apesar de já estarmos no quarto dia, Wimbledon terá uma quinta-feira atípica, onde ainda se misturam jogos de primeira e segunda rodada, já que nomes como Anhelina Kalinina, Bianca Andreescu e Karolína Muchová ainda nem estrearam no torneio.

Já a brasileira Beatriz Haddad Maia retorna à quadra para enfrentar a romena Jaqueline Cristian. O duelo é inédito e Bia é favorita para chegar na terceira fase, especialmente se for agressiva nas devoluções, já que a adversária não tem vencido nem a metade dos seus games de serviço esta temporada. 

Em um dia cheio teremos também a presença de algumas candidatos ao título. Como, por exemplo, a atual campeã, Elena Rybakina, que enfrentará Alizé Cornet na Quadra Central com sua protetora coberta. 

Os duelos de Jessica Pegula, com Cristina Bucsa, e de Caroline Garcia, com Leylah Fernandez, são os outros destaques do dia, já que ambas têm hipóteses reais de chegar à final. 

O objetivo das quatro cabeças de chave é chegar à terceira rodada sem grandes complicações e evitar o desgaste físico durante esta primeira semana, mas a única que o conseguiu até agora foi a francesa, vencendo em apenas dois sets no seu jogo de estreia.

Dia 3: A estreia de Bia e Swiatek de novo na quadra

A chuva forte continua a ser o destaque na grama londrina, interrompendo algumas partidas antes de terminar o primeiro set e provocando o adiamento das restantes partidas nas quadras externas. 

Entre esses jogos está a estreia de Beatriz Haddad Maia. O confronto da paulistana com a cazaque Yulia Putintseva vai acontecer apenas esta manhã, e Bia tem odds de 1,28 para superar a adversária apesar do desconforto que tem sentido no joelho. 

Outras cabeças de chave, como Maria Sakkari, Barbora Krejcikova e Petra Kvitová, também entram em quadra pela primeira vez no torneio e à primeira vista, nenhuma delas tem adversárias difíceis, mas no circuito feminino sempre há grandes surpresas. 

Uma partida que merece especial atenção é a de Karolina Muchová, que enfrenta Jule Niemeier, quarta colocada na última edição do torneio londrino e que, com certeza, não vai facilitar a vida à tcheca. 

Este terceiro dia conta também com o início da segunda rodada do torneio, com a número 1 do mundo Iga Swiatek retornando à quadra para enfrentar a espanhola Sara Sorribes. 

A polonesa está buscando seu primeiro título na grama de Wimbledon e estreou em alta, vencendo por 6-1 e 6-3 para mostrar seu desejo de finalmente triunfar no torneio. 

No entanto, Sorribes é uma jogadora difícil e, quando joga contra grandes rivais, geralmente está em seu melhor momento, e venceu em sua estreia com o mesmo placar que Swiatek, o que promete luta por cada bola.

Dia 2: Bia se estreia

A tenista número um do Brasil, e 13ª do ranking WTA, vai-se estrear esta terça-feira em Wimbledon contra a cazaque Yulia Putintseva, número 56 do mundo. Apesar da brasileira ser favorita, o encontro anterior entre as duas, este ano em Abu Dhabi, durou mais de 3 horas, assim se espera algum equilíbrio.

Bia chega ao All England Club com apenas três partidas disputas em grama, isso por culpa de um desconforto no joelho direito, sofrido ainda no início da temporada desse piso. Ela fez apenas um jogo em Nottingham e mais dois em Eastbourne.

Apesar do incômodo, Bia garante que vai brigar e tudo vai fazer para passar a segunda rodada do Grand Slam de Londres.

As atenções neste segundo dia em Wimbledon vão se concentrar em duas das principais candidatas ao título, Elena Rybakina e Aryna Sabalenka. A campeã de 2022 e a número dois do mundo são as grandes rivais de Iga Swiatek na briga pelo troféu este ano.

Rybakina e Sabalenka têm tudo para vencerem fácil, mas a grama é uma superfície que muitas vezes traz surpresas, como aconteceu com as cabeças de chave Luidmila Samsónova contra Ana Bodgan (7-6 e 7-6), Mayar Sherif contra Rebeka Masarova (7-5, 3-6 e 7-6) e Coco Gauff frente a Sofia Kenin (6-4, 4-6, 6-2).

Dia 1: Primeiras candidatas em ação

A primeira rodada do quadro feminino de Wimbledon 2023 terá algumas das grandes favoritas a vencer o torneio. Para além da número um do ranking WTA, Iga Swiatek, veremos nas quadras do All England Club nomes como Coco Gauff, Jessica Pegula, Caroline García e a cinco vezes campeã na grama londrina, Venus Williams.

Se todo o mundo espera que estas jogadoras passem à segunda rodada, umas terão mais problemas do que outras. Começando pela americana Gauff que vai defrontar a compatriota Sofia Kenin. Kenin não é a mesma tenistas que venceu o Aberto da Austrália em 2020, mas tem talento.

A famosa veterana americana, Venus Williams, vai tentar dar ainda mais brilho à sua longa carreira. Mas a tenista de 43 anos terá um desafio complicado contra a experiente e poderosa Elina Svitolina.

Swiatek arranca a sua caminhada na tentativa de vencer em Wimbledon pela primeira vez contra a chinesa Zhu Lin e esperamos um triunfo tranquilo da polonesa.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.