Pular para conteúdo
Registre-se
futebol
  1. Futebol

Tudo o que há para saber sobre a janela de transferências europeia de janeiro

Janeiro é tido como um mês no qual não há muito pelo que esperar — exceto pela abertura da primeira janela de transferências do ano.

[Traduzido e adaptado de ''January Transfer Window: All you need to know''.]

Quando uma equipe está em crise, por vezes o único vislumbre de luz é a possibilidade de contratação de um novo centroavante ou meia. Levando isso em conta, eis o que há para saber sobre a próxima janela de transferências europeia.

Quando ela abre?

Há várias datas de abertura, a depender do país a que estamos nos referindo. Na Inglaterra, na França, na Alemanha e na Escócia, a janela abre à meia-noite de 1.º de janeiro; na Espanha e na Itália, à meia-noite de 2.º de janeiro.

Quando ela fecha?

A janela fecha em 31 de janeiro, às 23h.

Como ela funciona?

Uma janela de transferência permite a clubes de futebol comprar e vender jogadores durante determinados períodos de tempo.

A principal janela europeia é a do verão, a qual normalmente dura dois meses e meio. Sua data de abertura costuma ser 1.º de junho, fechando pouco antes do início da temporada seguinte.

É no meio do ano que a maioria dos clubes espera para fazer negócios, visto que no espaço entre uma temporada e outra obtém-se mais valor nas transações e há mais tempo para estruturar acordos.

Já a janela de inverno, como vimos, dura apenas um mês. Isso significa que pode haver movimentos frenéticos por parte de clubes que busquem encontrar substitutos para jogadores lesionados ou que estejam se apresentando abaixo das expectativas.

Por esse motivo, frequentemente se dá algum tipo de bonificação ao clube vendedor. Também é esse o motivo de menos negócios serem feitos no início do ano, principalmente pelos grandes clubes.

As maiores negociações de janeiro

Como visto, frequentemente evita-se negociar em janeiro por conta de taxas mais elevadas. Se é sabido que determinado clube está desesperado por um goleiro, quando tal clube faz uma oferta por um jogador dessa posição o potencial vendedor pode aumentar o preço.

Ainda assim, negócios são feitos no inverno — ainda que alguns tenham se provado malsucedidos.

A maior de todas as transações foi a troca de Philippe Coutinho do Liverpool pelo Barcelona por 142 milhões de libras, em 2018. Os Reds mal puderam acreditar na sua boa fortuna quando veio essa oferta da Catalunha e de bom grado deram adeus ao meia brasileiro.

Esse dinheiro foi investido de forma sábia pelos ingleses, que trouxeram o goleiro brasileiro Alisson e o zagueiro holandês Virgil van Dijk (duas estrelas de seus respectivos países na recém-finalizada Copa do Mundo).

Essas duas contratações se mostraram acertadas; pouco tempo depois da chegada de ambos, o Liverpool conquistou a Liga dos Campeões, o Campeonato Inglês, a Copa da Inglaterra, o Mundial de Clubes e a Copa da Liga.

Por sua vez, o Barça foi ladeira abaixo e ainda hoje está em um abismo financeiro como resultado de seus gastos imprudentes. Quanto a Coutinho, este acabou por se transferir ao Aston Villa por apenas 17 milhões de libras.

Em segundo lugar na lista de transferências de janeiro mais caras vem o já citado Van Dijk, visto que o Liverpool pagou 75 milhões de libras por ele a outro clube inglês, o Southampton, no primeiro dia de 2018.

Em seguida vêm o sérvio Dušan Vlahović, que por 70 milhões de euros trocou a Sampdoria pela Juventus no último janeiro, e o franco-espanhol Aymeric Laporte, que por 57 milhões de libras trocou o Athletic de Bilbao pelo Manchester City em 2018.

Outras negociações marcantes foram quando o Liverpool contratou o colombiano Luis Díaz (2022) e quando o Chelsea trouxe nomes como o americano Christian Pulisic (2019), o hispano-brasileiro Diego Costa (2014) e o brasileiro Oscar (2012).

O que pode suceder no próximo janeiro?

Os rumores nas últimas semanas foram um pouco mais quietos do que o normal, devido à Copa do Mundo. Mas mesmo então já havia muitas histórias interessantes circulando.

Jude Bellingham é o nome na boca de todos graças às suas atuações pela Inglaterra no Catar, e espera-se que a estrela do Borussia Dortmund deixe o clube da Bundesliga no próximo verão.

Isso pode não impedir que um negócio seja feito já no mês que vem, pois Liverpool, Manchester City e Real Madrid manifestaram o desejo de contar com esse meio-campista de 19 anos. O valor da transferência seria entre 100 e 150 milhões de libras.

O holandês Denzel Dumfries foi especulado no Chelsea e no Manchester United em semanas recentes. E já é certo que o canadense Ismaël Koné, que chamou a atenção no Mundial, trocará o Montréal pelo Watford.

Cristiano Ronaldo, agora um agente livre, parece pronto para assinar um acordo de grandes proporções financeiras com o Al-Nassr, da Arábia Saudita. E Pulisic, do Chelsea, estaria sendo monitorado por Newcastle e Manchester United.

Foi veiculado que o marfinense Franck Kessié estaria despertando o interesse do Tottenham, e rumores apontam também para interesse por parte de Aston Villa, Fulham e Internazionale.

Não faltam admiradores a Cody Gakpo após as suas atuações de destaque pela Holanda no Oriente Médio. Já o inglês Declan Rice, que também se destacou no Mundial, teria entre seus pretendentes o Chelsea e o Liverpool.

Este promete ser outro período frenético, e há muito com o que se distrair ao navegar nas redes sociais em busca dos mais recentes rumores e fofocas. Mas, até que tais histórias sejam confirmadas por fontes confiáveis, é prudente encará-las com ceticismo.

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies