Pular para conteúdo
Registre-se
Martín Demichelis
  1. Futebol
  2. Outras Ligas

River Plate: o grande desafio de Martín Demichelis

No último 16 de novembro, após a saída de Marcelo Gallardo do River Plate, anunciou-se a contratação do ''Micho'' como o seu novo técnico.

[Traduzido e adaptado de ''Martín Demichelis ante su gran reto''.]

Depois de oito temporadas, o River Plate terá um novo técnico. E Marcelo Gallardo deixa um grande legado no clube que treinava desde 2014 — tendo chegado após apenas um ano de experiência como técnico (no Nacional).

Gallardo esteve à frente do River por 370 partidas, com um cartel de 197 vitórias (aproximadamente 53% dos jogos), 101 empates e 72 vitórias. Sob o seu comando, a equipe alcançou a notável marca de 648 gols a favor e 324 contra.

Além disso, ''el Muñeco'' se tornou o treinador mais vitorioso da história do clube bonaerense, com um total de 14 títulos:

– 2 Copas Libertadores,
– 3 Recopas Sul-Americanas,
– 1 Copa Sul-Americana,
– 1 Copa Suruga Bank,
– 1 Campeonato Argentino,
– 1 Troféu de Campeões,
– 3 Copas Argentinas e
– 2 Supercopas Argentinas.

Marcelo Gallardo se despede novamente da torcida do River, assim como em 1999 — quando partiu à Europa como jogador —, entre lágrimas e com uma torcida totalmente devotada a ele.

Este homem é agora uma lenda eterna do Millonario. Resta saber quais são as suas opções para o futuro, quer seja na Europa quer não. Com tudo o que construiu e conseguiu em Núñez, não lhe faltarão ofertas.

A peça de reposição estava na Alemanha

Jorge Brito e Enzo Francescoli optaram por Martín Demichelis depois que o Bayern de Munique oficializou a saída deste como técnico do Bayern de Munique II.

Demichelis esteve por uma temporada e meia (inicialmente junto do alemão Danny Schwarz) com os jovens da equipe bávara, os quais comandou por um total de 59 jogos.

Em sua primeira temporada com o time reserva do Bayern de Munique, a de 2021–22, o argentino terminou em segundo na Regionalliga Bayern (uma das ligas do quarto escalão do futebol alemão), a 7 pontos do campeão (o Bayreuth) e a 22 do terceiro colocado.

Isso foi um sucesso, se levarmos em conta que a equipe sob o seu comando era bastante jovem e que essa mesma equipe terminou com o melhor ataque (foram 113 gols em 38 jogos, aproximadamente três por jogo).

Na atual temporada, Demichelis os comandou em vinte partidas, obtendo nove vitórias e deixando o Bayern de Munique II em quinto lugar na classificação.

A única outra experiência do argentino como técnico foi em uma temporada anterior com o Bayern Sub-19. Assim, ele chega ao River sem a vivência de dirigir uma equipe profissional — ainda que aterrisse em um clube que conhece muito bem e do qual se declarou fanático:

''Com a minha família estivemos em todo o mundo, mas na minha casa só se fala o rio-pratense. Protagonismo, disciplina, respeito, unidade, esforço. São os valores do River. É isso que quero incutir nos meus jogadores''.

Demichelis e seu passado como jogador

Como jogador, tendo estreado entre os profissionais do River Plate com 21 anos e conquistado dois torneios Clausura, Martín Demichelis assinou com o Bayern de Munique em 2003. O valor pago ao clube de Núñez foi 5 milhões de dólares.

Na Alemanha, este zagueiro/volante se tornou titular dos bávaros, com os quais disputou um total de 174 partidas durante sete temporadas e meia. Venceu quatro Campeonatos Alemães, quatro Copas da Alemanha, duas Copas da Liga e uma Supercopa da Alemanha.

Em competições europeias não teve tanta sorte, visto que não conquistou nenhuma. De qualquer forma, disputou com regularidade a Liga dos Campeões, tendo sido vice-campeão da edição de 2010 (quando o Bayern perdeu para a Internazionale de José Mourinho).

No meio da temporada 2010–11, como já não tinha tantos minutos de jogo, decidiu para LaLiga. Demichelis tomou parte no grande projeto que o Málaga preparava com Manuel Pellegrini como técnico e jogadores como Isco, Van Nistelrooy e Saviola.

Com os boquerones, o hoje comandante do River Plate chegou a um honroso quarto lugar no Campeonato Espanhol de 2011–12. Isso valeu aos andaluzes a oportunidade de disputar na temporada seguinte, pela primeira vez em sua história, a Liga dos Campeões.

A participação do Málaga na edição 2012–13 do principal torneio europeu entre clubes ainda é recordada por seus torcedores. A começar pelo fato de que os homens de Pellegrini terminaram em primeiro no grupo C, onde também estavam Milan, Zenit e Anderlecht.

Nas oitavas de final, os espanhóis derrotaram o Porto do técnico Vítor Pereira e jogadores como Helton e Lucho González. Nas quartas de final, só foram eliminados nos acréscimos do jogo de volta pelo Borussia Dortmund de Jürgen Klopp, Lewandowski, Götze e Reus.

Em 2013, com o seu contrato com o Málaga chegando ao fim, Demichelis decidiu seguir em LaLiga e assinou por uma temporada com o Atlético de Madrid. Sem fazer uma só partida com os colchoneros, deixou o clube um mês e meio depois para ir ao Manchester City.

Nos Cityzens, de novo sob o comando de Pellegrini, o argentino ficou por três temporadas, nas quais venceu um Campeonato Inglês e duas Copas da Liga. Encerrou a carreira na Espanha, jogando metade de 2016–17 pelo Espanyol e a outra metade pelo Málaga.

Pela seleção argentina, o ''Micho'' disputou 19 partidas e participou de quatro competições: duas Copas do Mundo (2010 e 2014), uma Copa das Confederações (2005) e uma Copa América (2015).

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies