Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
Iago Aspas (Celta)
  1. Futebol
  2. Espanha - Primeira Liga

Perspectivas para o Celta na temporada de seu centenário

Prestes a completar cem anos de existência, os «celestes» chegam a 2022–23 sob o comando técnico de Rafa Benítez.

No próximo 23 de agosto, o Real Club Celta de Vigo, da Galiza, chega aos cem anos. O objetivo é fazer desta próxima temporada uma das mais memoráveis da história celeste, e o primeiro passo nesse sentido foi a contratação de um técnico de nome.

Rafa Benítez foi duas vezes campeão espanhol com o Valencia. As ambições do Celta para 2023–24 são evidentemente mais modestas, mas a chegada do madrilenho pode ser determinante para que os galegos alcancem um patamar mais elevado.

Uma temporada difícil

Tendo sido o 8.º colocado de LaLiga 2020–21 e o 11.º de LaLiga 2021–22, o Celta chegou a 2022–23 como forte candidato a terminar outra vez em alguma posição intermediária. Logo, se apresentassem desempenho um pouco acima do esperado, os vigueses poderiam voltar a disputar uma competição europeia (algo que não ocorre desde 2016–17).

Com Eduardo Coudet como técnico foram sete derrotas nas primeiras doze rodadas. O argentino foi demitido em novembro, e para o seu lugar veio o português Carlos Carvalhal. Dali até março os resultados foram bons, mas a partir de abril voltou-se a ver um baixo rendimento. A permanência na elite espanhola só foi assegurada na última rodada.

Uma ruptura no comando técnico

Após o 13.º lugar em LaLiga veio o esperado anúncio da saída de Carvalhal (em comum acordo). Surpreendente foi o anúncio de quem seria o seu sucessor: Rafa Benítez, que fez história à frente do Valencia no início do século mas não treinava uma equipe de seu país natal desde uma frustrante passagem pelo Real Madrid em 2015–16.

Rafa Benítez

Carlos Mouriño, que preside o Celta desde 2006, notabilizou-se por preferir treinadores emergentes (como Luis Enrique em 2013), aos quais poderia pagar salários abaixo da média. Com a chegada de Benítez, a mensagem é de que os celestes terão ambições elevadas para o seu centenário. Estaria o elenco à altura de tais expectativas?

Duas despedidas certas e uma provável

Comecemos a falar dos que não continuarão na Galiza. Um deles é o lateral-direito Hugo Mallo, de 32 anos, revelado pelos vigueses em 2009 e que desde então não defendeu qualquer outro clube. (Seu futuro está indefinido.) Embora tenha perdido o estatuto de titular com Carvalhal, o ex-capitão sem dúvida deixará saudades por tudo o que representa.

Muito em breve deverá se tornar oficial a despedida do antigo dono da lateral esquerda, Javi Galán. O atleta de 28 anos tomará o rumo do Atlético de Madrid, que para tê-lo não só pagará aos galegos um valor que vem sendo estimado em 4,5 milhões de euros como lhes cederá o também lateral-esquerdo Manu Sánchez, de 22 anos.

Quanto ao meia Gabri Veiga, de 21 anos, são muitas as especulações quanto à camisa que vestirá em 2023–24. Na imprensa noticiou-se o interesse nele por parte de Barcelona, Real Madrid, Chelsea, Liverpool e Manchester City. É bastante improvável que essa joia da base (atualmente na disputa da Euro Sub-21) jogue pelo Celta por mais uma temporada.

Quem permanecerá?

Entre os que a princípio permanecem está Iago Aspas, hoje com 35 anos. Apesar de recentes problemas físicos, este lendário atacante (talvez o maior ídolo da história celtista) ainda é dos melhores na Espanha em sua posição (como o atesta o fato de ter sido convocado por Luis de la Fuente para a primeira Data FIFA de 2023).

Também merecem ser mencionados os dois zagueiros titulares: Unai Núñez, de 26 anos, e o ganês Joseph Aidoo, de 27. O primeiro está emprestado pelo Athletic desde o verão passado, enquanto o segundo chegou ao Celta em 2019 e foi eleito pelo site não oficial Moi Celeste o seu MVP da temporada que terminou há um mês.

O goleiro argentino Agustín Marchesín, de 35 anos, se recupera de lesão sofrida em fevereiro. Pelo menos por enquanto, o dono da baliza segue sendo Iván Villar, de 25. No meio de campo há o volante Fran Beltrán, de 24 anos, que na temporada passada foi presença constante no onze inicial tanto com Coudet quanto com Carvalhal.

O que esperar para o centenário?

Com a vinda de um técnico de renome, a expectativa é que cheguem atletas gabaritados nesta janela que fecha em 1 de setembro. Além de substitutos para Mallo, Galán e (provavelmente) Veiga, os de Vigo quererão se reforçar no ataque. A compra de Carles Pérez, que defendeu o clube em 2022–23 por empréstimo da Roma, não basta.

Outro fator que pode ajudar Mouriño a trazer reforços de peso é ter como conselheiro esportivo o português Luís Campos, diretor esportivo do Paris Saint-Germain. Enquanto tais reforços não vêm, é natural que no mercado «Vencedor Final» de LaLiga 2023–24 o Celta apareça junto do Osasuna em nono lugar nas cotações (501,00).

Para chegar à Liga Conferência será preciso ser o sexto ou o sétimo de LaLiga (a depender de quem conquistar a Copa del Rey). A princípio é com isso que sonham os torcedores celestes —principalmente os que se lembram dos grandes feitos do «EuroCelta» de duas décadas atrás— ao fim da temporada dos cem anos do clube.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta

Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.