Pular para conteúdo
pt-br ACESSAR Esportes bet365
Vitória de Guimarães
  1. Futebol
  2. Outras Ligas

Os Conquistadores pisam velhos terrenos

Nesta Primeira Liga o Vitória de Guimarães vem conseguindo o que parecia inimaginável: lutar pelo G4.

No ranking histórico do Campeonato Português, o Vitória de Guimarães (oficialmente Vitória Sport Clube) só está atrás de Benfica, Porto e Sporting —os três grandes— em número de temporadas na elite e em pontos conquistados.

Porém, a temporada 2016–17 foi a última em que os conquistadores terminaram entre os quatro melhores. Como se isso não fosse o bastante, em duas das últimas quatro viu-se o Braga —o arquirrival do Vitória— terminar em terceiro.

Devido à diminuição de vagas destinadas a clubes portugueses em torneios da UEFA, os vimaranenses chegaram a 2023–24 com chances pequenas de voltar à Liga Conferência. Mas desde a vinda do técnico Álvaro Pacheco as perspectivas mudaram.

Ambições audazes

O Vitória terminou a Primeira Liga 2022–23 na sexta posição, o que lhe deu o direito de disputar a segunda fase da Liga Conferência. Mas, porque desde então Portugal caiu do sexto para o sétimo lugar no quociente de clubes da UEFA, em 2024–25 apenas cinco equipes lusas disputarão alguma competição europeia.

Se os de Guimarães terminarem em quinto na atual Liga Portuguesa, a classificação a algum torneio da UEFA dependerá de conquistarem a Taça de Portugal (nesse caso eles disputariam a fase de grupos da Liga Europa) ou de o vencedor dessa competição ser um dos dois primeiros colocados da Primeira Liga.

Em setembro ouvimos o presidente do clube, António Miguel Cardoso, falar em chegar à decisão da Taça de Portugal e terminar o Campeonato Português em alguma zona europeia. Ambos os objetivos já seriam considerados pouco realistas dois meses antes, e mais ainda após as primeiras semanas de 2023–24.

Três técnicos em dois meses

Os conquistadores começaram a temporada de maneira desastrosa: sendo eliminados pelos eslovenos do Celje na fase qualificatória da Liga Conferência. Esse foi o motivo de, logo após o triunfo sobre o Estrela da Amadora pela primeira rodada da Primeira Liga, o treinador Moreno Teixeira ter anunciado sua renúncia ao cargo.

Estávamos em 13 de agosto. Oito dias depois o Vitória anunciou a vinda do brasileiro Paulo Turra (ex-zagueiro do clube), cuja trajetória no comando técnico consistiu em duas vitórias, um empate e três derrotas (uma das quais acarretou a eliminação na Taça da Liga). Sua demissão foi noticiada em 3 de outubro.

Nas palavras de António Miguel Cardoso, dois fatores importantes para a escolha do novo técnico eram rendimento físico e liderança. Nesse sentido pareceu lógica a escolha por Álvaro Pacheco: em sua passagem à frente do Vizela (2019 a 2022), este ex-atacante hoje com 52 anos tornou-se conhecido pelo estilo enérgico.

Pacheco começou a temporada no Estoril, de onde foi demitido após quatro derrotas em seis rodadas da Primeira Liga. Apesar disso, o seu gosto por um futebol ofensivo e o seu temperamento sanguíneo/colérico pareciam fazer dele uma boa escolha para um clube de torcedores tão apaixonados quanto é o Vitória.

Essa impressão se confirmou nos doze jogos dos vitorianos com seu atual comandante: oito triunfos, dois empates e duas derrotas (2,17 pontos por jogo). A equipe está nas quartas de final da Taça de Portugal e terminou a 16.ª rodada da Primeira Liga em quinto lugar. (Estava em sexto antes da vinda de Pacheco.)

As peças-chave por setor

Os três treinadores do Vitória nesta temporada tiveram no cabo-verdiano Bruno Varela o dono da baliza e em Jorge Fernandes um nome certo no trio de zaga. Já o zagueiro croata Toni Borevkovic (que voltou de empréstimo ao Hajduk Split) só se tornou titular após a chegada de Álvaro Pacheco.

Alguns dos destaques vitorianos na Primeira Liga atuam como meio-campistas. Tomás Händel, que está mais para volante, foi por três vezes eleito para a seleção da rodada do site zerozero; Tiago Silva, de características mais ofensivas, é o homem das bolas paradas e o líder da equipe em assistências (quatro).

Outro meia que brilha é João Mendes, contratado do Chaves em junho. Na terceira rodada, em sua primeira partida como titular na Liga, marcou um gol e deu uma assistência; desde então conseguiu outros cinco gols e mais uma assistência. Além disso, ao todo foi cinco vezes eleito o melhor em campo pelo zerozero.

No trio de ataque merece destaque o ponta-esquerda Jota Silva pela sua notável evolução. Tendo terminado a temporada anterior com 0,20 participação direta em gols por jogo (8/40), em 2023–24 ele apresenta média de 0,50 nesse mesmo quesito (11/22). Nada mal para quem até 2019–20 atuava na quarta divisão.

O centroavante titular é um brasileiro, André Silva, conhecido pelo gol do meio de campo que anotou a serviço do Arouca em um jogo da Primeira Liga 2021–22. Tendo se mudado para Guimarães no verão seguinte, este paulista de Taboão da Serra já marcou mais vezes nesta temporada (sete) do que na anterior (seis).

Olhando para a frente

Anteontem começou a 17.ª rodada da Primeira Liga. O Vitória de Guimarães pode terminar o primeiro turno com os mesmos 33 pontos do Braga, que está em quarto lugar (e que hoje enfrenta o Porto fora de casa). Quanto à Taça de Portugal, o sorteio das quartas de final está marcado para amanhã.

Segue sendo improvável ver os conquistadores no G4 da liga ou na final da taça ainda em 2023–24. Mas a sua evolução nos últimos meses dá-lhes esperanças de alcançar um desses dois objetivos ou, pelo menos, preparar o terreno para que a participação em torneios da UEFA torne-se algo muto mais comum.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta

Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.