Pular para conteúdo
Registre-se
Dejan Petković (Flamengo)
  1. Futebol
  2. Brasileirão Série A

O onze ideal de todos os tempos dos estrangeiros no futebol brasileiro

Dos vários estrangeiros que se tornaram ídolos no Brasil desde o século XX destacamos os principais.

[Artigo originalmente publicado em 30 de agosto de 2022.]

Todos os grandes clubes do Brasil têm em sua história mais de um caso de sucesso de jogadores estrangeiros.

Mesmo sabendo da dificuldade que é escolher apenas alguns entre tantos atletas, compartilhamos abaixo o nosso onze ideal de todos os tempos.

O onze ideal

Devido à abundância de excelentes meias ofensivos, escalamos esta seleção com apenas um volante. O esquema tático é o 4-1-3-2.

goleiro

Edgardo Andrada (Argentina)

''El Gato'' marcou época no Vasco (de 1969 a 1975), onde conquistou o Campeonato Carioca de 1970 e o Campeonato Brasileiro de 1974 e recebeu uma Bola de Prata da revista Placar, por suas atuações no Campeonato Brasileiro de 1971. Apesar disso, é mais lembrado por ter sido o goleiro que sofreu o milésimo gol de Pelé.

lateral-direito

Francisco Arce (Paraguai)

Seria exaustivo enumerar todos os títulos que esse paraguaio conquistou pelo Grêmio (1995 a 1997) e pelo Palmeiras (1998 a 2002), mas os mais importantes foram as suas duas Copa Libertadores (uma por cada clube). Em distinções individuais, destaca-se o seu recorde de sete nomeações à Equipe Ideal da América, do jornal uruguaio El País.

zagueiros

Carlos Gamarra (Paraguai) e Elías Figueroa (Chile)

Gamarra jogou por Internacional (1995 a 1997), Corinthians (1998 a 1999), Flamengo (2000 a 2001) e Palmeiras (2005 a 2006). Sua conquista mais importante no Brasil foi a do Campeonato Brasileiro de 1998, pelo Timão. Em todos esses anos, venceu quatro Bolas de Prata e foi eleito por cinco vezes para a Equipe Ideal da América.

''Don Elías'' defendeu um único clube no Brasil, o Internacional (de 1971 a 1976). Em seus anos no Colorado, conquistou quatro Bolas de Prata e uma de Ouro e foi eleito pelo jornal venezuelano El Mundo o Futebolista Sul-Americano do Ano por três vezes. Também está na Seleção de Futebol da América do Sul do Século XX, eleita por um painel de jornalistas.

lateral-esquerdo

Juan Pablo Sorín (Argentina)

Sorín teve três passagens pelo Cruzeiro (2000 a 2002, 2004 e 2008 a 2009). Pela Raposa, seu título de maior expressão foi a Copa do Brasil de 2000, e nesse mesmo ano conquistou a Bola de Prata. Foi também eleito por três vezes para a Equipe Ideal da América (uma delas, em 1996, quando atuava pelo River Plate).

volante

Freddy Rincón (Colômbia)

O único colombiano nesta lista jogou por Palmeiras (1994 e 1996 a 1997), Corinthians (1997 a 2000 e 2004), Santos (2000 a 2001) e Cruzeiro (2001). Pelo Timão, foi bicampeão brasileiro e campeão mundial e conquistou uma Bola de Prata. Nessa época foi eleito pela segunda e última vez para a Equipe Ideal da América (a primeira foi em 1993).

meias

Dejan Petković (Sérvia), Pedro Rocha (Uruguai) e Andrés D'Alessandro (Argentina)

O nosso único europeu, ''Pet'' jogou por Flamengo (2000 a 2002 e 2009 a 2011), Vasco (2002 a 2003 e 2004), Fluminense (2005 a 2006), Goiás (2007), Santos (2007) e Atlético-MG (2008). Seu principal título foi o Brasileirão de 2009 pelo Urubu, no mesmo ano da conquista de sua terceira e última Bola de Prata.

Pedro Rocha jogou por São Paulo (1970 a 1977), Coritiba (1978), Palmeiras (1979) e Bangu (1979). Seu principal troféu no Brasil veio em 1977, com o Campeonato Brasileiro. Em 1972, o ''Verdugo'' havia sido um dos artilheiros dessa mesma competição e, em 1973, havia vencido a sua única Bola de Prata.

''El Cabezón'' D'Alessandro jogou por mais de dez temporadas no Internacional (de 2008 a 2020 e em 2022), pelo qual seus principais troféus foram uma Copa Libertadores e uma Copa Sul-Americana. Em toda a carreira, foi eleito quatro vezes para a Equipe Ideal da América, e, em 2010, foi o Futebolista Sul-Americano do Ano.

atacantes

Carlos Tévez (Argentina) e Paolo Guerrero (Peru)

A breve passagem de ''Carlitos'' pelo Corinthians (de 2005 a 2006) bastou para que se tornasse ídolo da torcida. Logo em seu primeiro ano, conquistou o Campeonato Brasileiro e ganhou a Bola de Prata e a Bola de Ouro. Ao longo da carreira, foi três vezes o Futebolista Sul-Americano do Ano (inclusive em 2005).

O peruano Paolo Guerrero passou por Corinthians (2012 a 2015), Flamengo (2015 a 2018) e Internacional (2018 a 2021) antes de chegar, nesta temporada, à sua equipe atual, o Avaí. No Mundial de Clubes de 2012, vencido pelo Timão, marcou os gols da semifinal e da final. Venceu a Bola de Prata uma vez e entrou para a Equipe Ideal da América duas vezes.

Quem ficaria no banco de reservas?

Os nossos suplentes seriam os uruguaios Rodolfo Rodríguez (goleiro), Darío Pereyra (zagueiro) e Hugo de León (zagueiro), os argentinos Darío Conca (meia) e Narciso Doval (atacante), o chileno Claudio Maldonado (volante) e o paraguaio Romerito (meia).

Quaisquer omissões devem ser relevadas. Como dito na introdução deste texto, muitos estrangeiros brilharam no futebol brasileiro, e seria difícil dar o devido reconhecimento a todos.

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies