Pular para conteúdo
Registre-se
Carlos Alberto Torres (Brasil)
  1. Futebol
  2. Seleção do Brasil

O onze ideal de atletas nascidos na cidade do Rio de Janeiro

Na lista dos melhores jogadores cariocas de todos os tempos estão alguns dos maiores nomes do futebol mundial.

É possível argumentar que nenhuma outra cidade do mundo revelou tantos grandes futebolistas quanto o Rio de Janeiro.

Para demonstrar isso, elaboramos uma seleção apenas com jogadores cariocas.

O onze ideal

O esquema tático escolhido foi o 4-3-3 (com um meio-campista mais defensivo e dois mais ofensivos).

goleiro: Castilho

Nascido em 1927, o “Leiteria” defendeu o Fluminense por quase toda a carreira. Além de ser muito possivelmente o maior jogador da história do Tricolor das Laranjeiras, este goleiro integrou a seleção brasileira que disputou as Copas do Mundo de 1950, 1954, 1958 e 1962 (embora apenas na segunda delas tenha sido titular).

lateral-direito: Carlos Alberto Torres

Nascido em 1944, o “Capitão do Tri” é um dos grandes ídolos de Fluminense e Santos, além de ser frequentemente apontado como o maior lateral-direito de todos os tempos. Como o seu apelido entrega, é mais lembrado por ter sido o capitão da mítica equipe do Brasil que conquistou a Copa do Mundo de 1970.

zagueiros: Domingos da Guia e Thiago Silva

Nascido em 1912, Domingos, o “Divino Mestre”, marcou época no Vasco, no Flamengo, no Corinthians e também no futebol uruguaio e argentino. É frequentemente considerado o maior zagueiro da história do Brasil, mesmo tendo disputado apenas um Mundial da FIFA, o de 1938 (já que na década seguinte a competição não foi realizada).

Nascido em 1984, Thiago, o “Monstro”, é o único jogador desta nossa seleção ainda em atividade. Um dos grandes nomes de Fluminense, Milan, Paris Saint-Germain e Chelsea, este zagueiro de 38 anos disputou as Copas do Mundo de 2010, 2014 e 2018 e é nome certo para a disputa do Mundial de 2022.

lateral-esquerdo: Nilton Santos

Nascido em 1925, a “Enciclopédia” teve como único clube o Botafogo. Além de ser um dos ídolos incontestáveis do Alvinegro de General Severiano, é considerado o melhor lateral-esquerdo de todos os tempos. Com a seleção, esteve nos Mundiais de 1950, 1954, 1958 e 1962; foi titular nos três últimos e campeão nos dois últimos.

meio-campistas: Danilo Alvim, Ademir da Guia e Zico

Nascido em 1920, o “Príncipe” Danilo se destacou principalmente como jogador do Vasco, sendo tido como um dos grandes da história do Gigante da Colina. Foi titular do Brasil no Mundial de 1950, e certamente seria mais reconhecido hoje se não fosse a derrota para o Uruguai, em pleno Maracanã, no jogo final daquele torneio.

Nascido em 1942, Ademir recebeu o apelido de “Divino” por ser filho de Domingos da Guia. Após começar no Bangu, transferiu-se para o Palmeiras, sendo indiscutivelmente o maior ídolo da história do Verdão. É difícil acreditar que esse meio-campista fora de série só tenha estado em uma Copa do Mundo, a de 1974 — e ainda assim como reserva.

Nascido em 1953, Zico, o “Galinho de Quintino”, fez a maior parte da carreira no Flamengo, e é o ídolo número um do Rubro-Negro da Gávea. Com a seleção, esteve nas Copas do Mundo de 1978, 1982 e 1986. A primeira como reserva, a segunda como titular e a terceira (pouco após se recuperar de uma séria lesão) novamente como reserva.

atacantes: Jairzinho, Romário e Leônidas da Silva

Nascido em 1944, Jairzinho, o “Furacão da Copa”, é um ídolo eterno do Botafogo (clube que defendeu por mais tempo). Mas, como se vê, todos o reconhecem mais pelo que fez em um Mundial da FIFA: o de 1970, quando marcou em todas as seis partidas do Brasil. Esteve também nos Mundiais de 1966 e 1974, sempre como titular.

Nascido em 1966, o “Baixinho” Romário marcou época em quatro clubes: Vasco, PSV, Barcelona e Flamengo. Devido a lesões, quase não atuou na Copa do Mundo de 1990 e foi cortado pouco antes da de 1998. Em compensação, em 1994 não só jogou como foi o craque da competição em que o Brasil se sagrou tetracampeão.

Nascido em 1913, Leônidas, o “Diamante Negro”, é bastante lembrado por suas passagens por Flamengo e São Paulo. Assim como outros jogadores aqui mencionados, é ainda mais lembrado pelo que fez com a camisa da seleção brasileira em Mundiais da FIFA: tendo disputado os de 1934 e 1938, foi o artilheiro deste último.

Os não elegíveis e os suplentes

Se fôssemos incluir jogadores nascidos em outras cidades do estado do Rio de Janeiro, quatro seriam fortes candidatos à nossa seleção: os meio-campistas Zizinho (São Gonçalo) e Didi (Campos dos Goytacazes) e os atacantes Garrincha (Magé) e Ronaldo (Itaguaí).

Concluímos este texto com alguns nomes que provavelmente estariam no nosso banco de reservas: o goleiro Diego Alves, o lateral-direito Jorginho, o zagueiro Brito, o lateral-esquerdo Marcelo, o meia Philippe Coutinho e o atacante Adriano.

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies