Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
Giovanni Di Lorenzo (Napoli)
  1. Futebol
  2. Itália Serie A

O onze ideal da Serie A 2022–23

Como seria de esperar, o Napoli é a equipe com mais representantes na nossa lista dos melhores jogadores do último Campeonato Italiano.

[Traduzido e adaptado de «Serie A: la top 11 della stagione».]

Antes do início de mais uma temporada europeia apresentamos a nossa seleção da Serie A 2022–23. Cinco desses atletas defenderam o Napoli (o campeão), mas também a Lazio, o Monza, a Juventus e a Internazionale estão representados. O esquema tático é o 4-3-3.

No gol, a grande surpresa biancoceleste

Goleiro: Ivan Provedel (Lazio)
Provedel terminou o campeonato com 21 partidas sem sofrer gols, assim como Gianluigi Buffon em 2011–12 e Morgan De Sanctis em 2014–15. E pensar que o ex-goleiro do Spezia nem mesmo começou como o titular, pois Maurizio Sarri preferia Luís Maximiano. Quando o português foi expulso, logo na primeira rodada, abriu-se a oportunidade para este atleta de 29 anos mostrar seu valor em uma equipe de grande porte.

Na defesa, quatro nomes certos

Lateral-direito: Giovanni Di Lorenzo (Napoli)
Ser titular no terceiro scudetto do Napoli, e ainda por cima portando a braçadeira de capitão, não é pouco. O lateral-direito Di Lorenzo entrou para a história dos partenopei nesta que foi a sua quinta temporada seguida na elite do futebol italiano. Este ex-Empoli mostrou-se perfeito ao fechar espaços na defesa e preciso em suas rajadas ofensivas.

Seu suplente seria Stefan Posch (que, além de lateral, atua como zagueiro). O austríaco defendeu o Bologna em 2022–23, quando anotou seis gols e deu duas assistências.

Zagueiro: Kim Min-jae (Napoli)
Que temporada sensacional a do sul-coreano. Min-jae não só fez com que os torcedores napolitanos não sentissem a menor do falta do astro Kalidou Koulibaly (que partiu para o Chelsea) como de fato o superou e se afirmou como um dos melhores zagueiros em toda a Europa. Não foi por nada que o Bayern de Munique se dispôs a desembolsar 50 milhões de euros para contar com os seus serviços.

Zagueiro: Alessio Romagnoli (Lazio)
2022–23 marcou o renascimento deste ex-zagueiro da Roma que, após perder espaço no Milan, se impôs com a camisa dos arquirrivais dos giallorossi. É quase um eufemismo definir como excelente a sua temporada. Com o já mencionado Provedel na baliza e com Romagnoli e Nicoló Casale na zaga, a Lazio terminou a Serie A com 30 gols sofridos. (Somente o Napoli foi menos vezes vazado.)

Lateral-esquerdo: Carlos Augusto (Monza)
Não poderia faltar um elemento decisivo do miraculoso Monza. O lateral-esquerdo formado no Corinthians afirmou-se como atleta de grande qualidade técnica e tornou-se alvo da Internazionale. Surpreendem a versatilidade e a inteligência tática de Carlos Augusto, capaz de atuar como defensor em uma linha de três e como ala com licença para atacar. Foram seis gols e cinco assistências na Serie A.

Para ter uma ideia da qualidade do zagueiro/lateral/ala paulistano, seu suplente seria Federico Dimarco, da Inter, que vem de temporada consagradora.

No meio, técnica e força

Meio-campista pela direita: Sergej Milinković-Savić (Lazio)
O craque sérvio, conhecido como «sargento», não podia ser esquecido. Essa foi mais uma temporada sensacional para Milinković-Savić, com nove gols e oito assistências nas 36 vezes em que entrou em campo. Números incríveis, potencializados pela habitual combinação de força física e supremacia técnica que se tornou sua marca registrada.

Meia-armador: Stanislav Lobotka (Napoli)
O pequeno eslovaco (1,70 m de altura) esteve, em uma palavra, estupendo. Lobotka foi a arma secreta do Napoli de Luciano Spalletti, por saber como e quando ditar o ritmo do jogo com o intuito de acionar o veloz tridente ofensivo azzurro. E pensar que em anos anteriores houve quem duvidasse de suas qualidades.

Meio-campista pela esquerda: Adrien Rabiot (Juventus)
Por essa ninguém esperava. Após anos nada marcantes com a camisa dos bianconeri, Rabiot viveu uma temporada sensacional. No Campeonato Italiano foram oito gols e quatro assistências. A renovação do seu contrato, que terminou em junho, representou um dos melhores reforços da Juventus para 2023–24.

No ataque, velocidade e faro de gol

Ponta-direita: Lautaro Martínez (Internazionale)
Lautaro foi a certeza da Inter de Simone Inzaghi. O argentino assumiu a responsabilidade de liderar os nerazzurri quando havia pontos fundamentais a serem conquistados na luta por uma vaga na Liga dos Campeões. Foram 21 gols marcados na Serie A (e um papel essencial nas conquistas da Coppa Italia e da Supercoppa Italiana).

Seu suplente seria o senegalês Boulaye Dia, cujos 16 gols muito fizeram para manter a Salernitana na primeira divisão.

Centroavante: Victor Osimhen (Napoli)
Um jogador enorme. Velocidade, técnica, potência, tudo o que se espera de um centroavante moderno pode ser encontrado em Osimhen. O nigeriano foi o artilheiro do campeonato, com 26 gols, e no caminho superou ninguém menos que o liberiano George Weah como o maior goleador da África na história da Série A. Sua permanência em Nápoles é improvável.

Ponta-esquerda: Khvicha Kvaratskhelia (Napoli)
O craque do campeonato. Foi tremenda a repercussão causada por este georgiano, hoje com 22 anos, trazido como um desconhecido para ser o sucessor de Lorenzo Insigne. Kvaratskhelia se impôs como ponta esquivo, com dribles dignos do norte-irlandês George Best. Sua produtividade também impressionou: 14 gols e 17 assistências. E isso porque nunca havia jogado em uma grande liga.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.