Pular para conteúdo
Registre-se
Thiago Heleno (Athletico-PR)
  1. Futebol
  2. Brasileirão Série A

O Athletico-PR (já) pode ser considerado grande?

Nos últimos anos, o Athletico-PR conquistou títulos que lhe credenciaram a lutar para ser visto como um dos grandes do futebol brasileiro.

[Artigo originalmente publicado em 8 de agosto de 2022.]

Todo brasileiro que acompanha futebol sabe de cor os nomes dos doze clubes considerados grandes nacionalmente.

Por décadas, o estatuto de tais clubes era justificado por serem eles os de maior torcida e os de mais (e maiores) títulos.

Com o sucesso do Athletico-PR nos últimos anos, será possível incluir o Furacão nessa seleta lista?

Emergentes ao redor do mundo

Antes de analisar o caso dos paranaenses, consideremos instituições que vivem situação parecida em seus respectivos países.

Vélez Sarsfield

Na Argentina, há cinco grandes: Boca Juniors, Independiente, Racing Club, River Plate e San Lorenzo de Almagro. Dos candidatos a sexto grande, destacamos o Vélez Sarsfield.

Com sede no bairro de Liniers, em Buenos Aires, o Fortín foi por dez vezes campeão argentino e uma vez da Copa Libertadores e da Copa Intercontinental.

Tigres

O México tem quatro grandes: América, Cruz Azul, Guadalajara (ou Chivas) e Universidad Nacional (ou Pumas). Um dos mais fortes candidatos a se juntar a eles é o Tigres.

Sediados no estado de Nuevo León, os felinos foram campeões mexicanos por sete vezes e conquistaram três edições da Copa México e uma da Liga dos Campeões da Concacaf.

Atlético de Madrid

Os dois indiscutíveis da Espanha são Barcelona e Real Madrid, mas já faz alguns anos que o Atlético de Madrid se consolidou como o mais forte candidato a grande.

Os colchoneros foram campeões espanhóis por onze vezes, da Copa del Rey por dez vezes e da Liga Europa por três vezes.

Outros candidatos

Na Argentina, fala-se também de Estudiantes de La Plata, Huracán, Newell’s Old Boys e Rosario Central; no México, em Monterrey e Toluca; e, na Espanha, em Athletic de Bilbao, Sevilla e Valencia.

Dos brasileiros que além do Athletico já puderam reivindicar o estatuto de 13.º grande, os que mais se destacaram foram Bahia e Coritiba.

O Athletico em títulos

Enumeramos acima os principais títulos de Vélez Sarsfield, Tigres e Atlético de Madrid. E quanto ao Athletico?

Seus torcedores se orgulham principalmente do Campeonato Brasileiro de 2001, da Copa do Brasil de 2019 e das Copas Sul-Americanas de 2018 e 2021.

O Furacão já supera o Botafogo internacionalmente. O único troféu relevante do Fogão fora do Brasil é o da extinta Copa Conmebol (de estatuto equivalente ao da Sul-Americana) de 1993.

Além disso, neste século o Alvinegro carioca viu-se constantemente lutando contra a queda para a segunda divisão nacional — e foi mesmo rebaixado por três vezes, em 2002, 2014 e 2020.

Existe, porém, pelo menos um critério objetivo para não se considerar o Rubro-Negro paranaense um clube tão grande no Brasil quanto o Botafogo.

O Athletico em número de torcedores

Na pesquisa das maiores torcidas de clubes brasileiros divulgada em junho passado pela XP Investimentos, a do Furacão era a 15.ª. Na pesquisa divulgada no mês seguinte pelo Globo, a 21.ª.

Eis o critério definidor para que, apesar de seus títulos recentes, o Athletico (e também os mexicanos do Tigres) não seja tido como grande.

No longo prazo, os troféus são uma maneira de compensar por isso — até porque tendem a levar a um aumento no número de torcedores.

Mas, ao falarmos de títulos, precisamos ser mais rigorosos do que fomos até aqui.

E, para tal, nada melhor que considerar os exemplos dos dois emergentes mais bem-sucedidos das últimas décadas.

A grandeza da noite para o dia

No início dos anos 1990, quando a Premier League foi fundada, havia um grupo de cinco grandes na Inglaterra: Arsenal, Everton, Liverpool, Manchester United e Tottenham Hotspur.

Hoje, fala-se em um grupo de seis grandes, que exclui o Everton e inclui o Chelsea e o Manchester City.

O Chelsea é uma potência desde que foi adquirido pelo russo Roman Abramovich em 2003, e o City desde que foi adquirido pelo catariano Mansour bin Zayed Al Nahyan em 2008.

Com os investimentos decorrentes de tais aquisições, ambos os clubes vêm conseguindo ser competitivos nacional e internacionalmente ano após ano. 

Pois é justamente esse o desafio do Athletico.

Se quiser se tornar grande, o rubro-negro paranaense precisará acostumar os fãs de futebol a vê-lo como um sério candidato às conquistas da Série A e da Copa Libertadores.

Trata-se de um processo que tende a levar tempo, e, com diversos clubes brasileiros na iminência de se tornarem SAFs, o desafio do Furacão será ainda maior nos próximos anos.

O próprio Athletico, ao que tudo indica, deverá fazer a transição para SAF. A questão é Será que o Furacão se tornará um ''novo rico'' tão rico quanto os demais?.

Se a resposta for negativa, talvez nem toda a competência administrativa do presidente Mario Celso Petraglia seja o bastante para fazer do Athletico um grande.

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies