Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
Brasil e Itália – Liga das Nações de Vôlei
  1. Outros esportes
  2. Vôlei

Liga das Nações Masculina de Vôlei: Brasil vs. Itália

Sul-americanos e europeus se enfrentam nas Filipinas na madrugada desta terça-feira buscando confirmar presença na fase final da competição.

Com seis vitórias e duas derrotas, o Brasil chega à terceira e última semana da fase preliminar da Liga das Nações Masculina em terceiro lugar. Com cinco vitórias e três derrotas, a Itália chega em sétimo.

Para ambas as seleções, estar entre as oito que disputarão a fase final (a ser realizada na Polônia ainda este mês) é praticamente uma obrigação. Isso nos faz esperar fortes emoções neste duelo nas Filipinas.

As estrelas se reapresentam

O quê:Brasil x Itália
Onde:Mall of Asia Arena, Pasay
Quando:terça, 4 de julho, às 4h (horário de Brasília)
Como assistir:sportv2

Como chega a canarinho

Na primeira semana da Liga das Nações a seleção brasileira esteve na cidade canadense de Ottawa, onde venceu Alemanha, Argentina e Estados Unidos e perdeu para Cuba. Na segunda semana Renan Dal Zotto e seus comandados estiveram na comuna francesa de Orleans, onde venceram Bulgária, Eslovênia e França e perderam para o Japão.

Parece haver uma saudável disputa entre o ponteiro Lucarelli, do Piacenza (Itália), e o oposto Alan, do AZS Olsztyn (Polônia), para ver quem termina como o maior pontuador da canarinho nesta fase preliminar. O primeiro leva vantagem, com 133 pontos (média de 16,62 por jogo), ao passo que o segundo tem 127 pontos (média de 15,88).

Mas o craque do time ainda é o levantador Bruno Rezende, do Modena (Itália). Com 168 levantamentos bem-sucedidos, Bruninho não só lidera esse ranking como está bem à frente do segundo colocado (o japonês Masahiro Sekita, com 146). Seu grande desempenho individual foi na derrota para os cubanos, quando teve sucesso em 33 de 90 levantamentos.

Como chega a azzurra

A seleção italiana também esteve em Ottawa na primeira semana, onde superou Cuba e Alemanha mas foi superada por Argentina e Estados Unidos. Na segunda semana os homens treinados por Ferdinando De Giorgi estiveram na cidade holandesa de Roterdã, onde derrotaram Irã, China e Sérvia e foram derrotados pela Polônia.

Um atleta cujo desempenho vem sendo dos mais regulares é o oposto Yuri Romanò, do Piacenza, que tem 115 pontos (média de 14,38). Isso não basta para deixá-lo entre os dez melhores no ranking em questão (cujo líder é o holandês Nimir Abdel-Aziz, com 160 pontos), mas é o suficiente para deixá-lo em primeiro entre os seus conterrâneos.

A irregularidade azzurra até aqui é facilmente explicável por ausências notáveis nas semanas anteriores. Em Ottawa, tanto o levantador Simone Giannelli, do Perugia, quanto o central Gianluca Galassi, do Monza, não representaram seu país. Em Roterdã, um atleta importante que não se fez presente foi o líbero Fabio Balaso, do Civitanova.

O que esperar do jogo

A grande novidade entre os titulares da verde e amarela para este jogo deverá ser o ponteiro Yoandy Leal, do Piacenza, que pediu dispensa das convocações anteriores para tratar de assuntos pessoais. No último mês de fevereiro, este cubano de nascença —um dos titulares indiscutíveis de Dal Zotto— foi eleito o melhor jogador da Coppa Italia.

Como os azzurri estão numa nada confortável sétima posição, parece-nos bastante provável que os já citados Giannelli, Galassi e Balaso estejam no sexteto inicial que De Giorgi apresentará. Esses três atletas foram eleitos os melhores em suas respectivas posições na conquista do Campeonato Mundial de 2022. (Giannelli foi o MVP.)

Apesar de a seleção do país tropical estar mais bem posicionada na classificação, as expectativas em relação aos representantes do bel paese são mais altas. No mercado «Vencedor Final» a Itália está cotada em 6,00, atrás apenas de Polônia (2,50) e Estados Unidos (5,00). O Brasil, cotado em 7,00, vem logo em seguida.

Mesmo sendo a terceira colocada no ranking da FIVB (Federação Internacional de Voleibol), a canarinho ainda é tida como estando num patamar abaixo das três outras seleções citadas no parágrafo anterior. E parece-nos provável que isso tenha algo a ver com o seu desempenho defensivo não muito confiável até o momento.

Os brasileiros apresentam média de sets perdidos por jogo (1,25) bastante mais elevada que a dos americanos (0,50). Os poloneses e os italianos têm médias ainda mais altas (2,00 e 1,38), mas os primeiros já estão garantidos na fase final (por serem o país-sede) e os segundos fizeram menos partidas com seus principais atletas em quadra.

Eis um encontro importantíssimo para ambos. O Brasil quererá mostrar que a vitória sobre os Estados Unidos em Ottawa não foi nenhum acidente, e a Itália buscará uma vitória que lhe permita no mínimo se manter entre os sete melhores a três jogos do fim da fase preliminar. Equilíbrio é o que se espera deste clássico do vôlei mundial.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.