Pular para conteúdo
Registre-se
vôlei
  1. Outros esportes

Destaques do dia no vôlei

Nesta terça teremos os primeiros jogos da quarta rodada da Superliga Feminina de Vôlei 2022–23.

A rodada abre com o duelo entre os cariocas Fluminense e Sesc-Flamengo. Um pouco mais tarde, o tradicional Osasco recebe o atual campeão, o Minas.

Superliga Feminina: o surpreendente contraste entre Flu e Fla

O quê:Fluminense x Sesc-Flamengo
Onde:Hebraica Rio, Rio de Janeiro
Quando:terça, 15 de novembro de 2022, às 19h (horário de Brasília)
Como assistir:sportv2
Cotações:Fluminense = 1,90 | Sesc-Flamengo = 1,80

Com três vitórias em três jogos (e apenas um set perdido), o Fluminense do técnico Guilherme Schmitz chega à quarta rodada da Superliga Feminina como uma das poucas equipes ainda invictas.

O Tricolor das Laranjeiras é a principal surpresa deste início de competição. A expectativa era (e ainda é) de que as atuais vice-campeãs cariocas lutassem não pela liderança, mas sim por uma das oito vagas para os playoffs.

Entre as jogadoras que vêm ajudando o Flu a contrariar os prognósticos está um de seus reforços mais recentes: a ponteira argentina Elina Rodríguez — uma das melhores pontuadoras (4,9 pontos por set) e sacadoras (0,6 ace por set) da competição.

Outra que chegou recentemente ao Pó de Arroz é a levantadora Juma (vinda justamente do Sesc-Flamengo). Quantos às que já estavam nas Laranjeiras, o destaque é a ponteira Gabi Cândido — a maior pontuadora da equipe no jogo contra o Barueri, pela primeira rodada.

O contraste com o momento vivido pelo Sesc-Flamengo é enorme. Mesmo tendo como seu treinador ninguém menos que Bernardinho, as visitantes de hoje perderam suas três partidas até aqui (e venceram três sets ao todo).

Tendo sido campeão carioca no último 24 de outubro, o Rubro-Negro da Gávea era tido, antes do início desta Superliga, como um dos candidatos ao título nacional (ainda que não necessariamente um dos favoritos).

De fato, parece-nos razoável apostar na evolução de uma equipe que já contava em seu elenco com a central Juciely Silva e que teve como um de seus principais reforços a levantadora canadense Brie King.

As cotações dizem tudo sobre a imprevisibilidade deste confronto. Por um lado, o Fluminense vive melhor momento e joga em casa; por outro, o Sesc-Flamengo tem um elenco mais gabaritado (e um técnico que dispensa apresentações).

Superliga Feminina: o primeiro grande teste do Minas

O quê: Osasco x Minas
Onde: Professor José Liberatti, Osasco
Quando: terça, 15 de novembro de 2022, às 21h30 (horário de Brasília)
Como assistir: sportv2
Cotações: Osasco = 2,75 | Minas = 1,40

O Osasco, do técnico Luizomar de Moura, venceu duas de suas três partidas até o momento (sete sets vencidos e seis perdidos), o que faz com que chegue a essa partida em quinto lugar na classificação.

Eliminadas nas quartas de final da Superliga passada (um resultado frustrante para quem detém o recorde de pódios na competição), as paulistas não estão entre as grandes favoritas nesta temporada. Mas seus reforços mais recentes podem mudar essa história.

Para 2022–23, o Osasco trouxe jogadoras como a líbero Natinha (que fez parte da campanha do vice-campeonato brasileiro no último Mundial), a levantadora Giovana e a central polonesa Malwina Smarzek.

Quem os desafiará hoje à noite é o Minas, do técnico italiano Nicola Negro. As visitantes vêm de campanha impecável: não apenas venceram suas três partidas até aqui como são as únicas a não terem perdido nenhum set.

Tudo isso é bastante condizente com o atual estatuto da equipe de Belo Horizonte. Além de ter vencido as últimas três edições da Superliga, no último mês de maio o Minas venceu pela quarta vez o Campeonato Sul-Americano.

A princípio pode ser difícil destacar apenas uma atleta no elenco das atuais campeãs, dada a sua abundância de jogadoras de alto nível. Ainda assim, parece-nos justo começarmos mencionando aqui a oposta Kisy, eleita a MVP do último Sul-Americano.

Kisy é uma das cinco atletas do Minas que representaram o Brasil no último Mundial. As outras são as centrais Carol Gattaz e Julia Kudiess, a ponteira Pri Daroit e a líbero Nyeme. (E a central Thaísa poderia muito ter estado lá se não tivesse se aposentado da seleção.)

No que se refere aos reforços mais recentes das mineiras, quem talvez mereça mais atenção é a dominicana Yonkaira Peña. Vinda do Ses-Flamengo, a ponteira está entre as melhores sacadoras desta Superliga (com uma média de 0,44 ace por set).

Não é preciso dizer mais nada para justificar o favoritismo do Minas nesta e em outras partidas. Mas seria razoável esperar que as atuais campeãs vençam mais uma vez por 3 x 0 — mesmo jogando fora de casa contra uma das equipes mais fortes do campeonato?

OUTRO JOGO DO DIA

Superliga Feminina (4.ª rodada)

. 21h30 – Maringá x São Caetano

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies