Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
Copa do Mundo Feminina – Revisões do dia
  1. Futebol
  2. Copa do Mundo

Copa do Mundo Feminina: Revisão das semifinais

Fique a par de toda a ação do torneio com nossa revisão de cada rodada da fase de grupos e das eliminatórias da Copa do Mundo Feminina de 2023.

Rodada 1quinta 20/07/23sexta 21/07/23sábado 22/07/23domingo 23/07/23segunda 24/07/23
Rodada 2terça 25/07/23quarta 26/07/23quinta 27/07/23sexta 28/07/23sábado 29/07/23
Rodada 3domingo 30/07/23segunda 31/07/23terça 01/08/23quarta 02/08/23quinta 03/08/23
Oitavas de finalsábado 05/08/23domingo 06/08/23segunda 07/08/23terça 08/08/23 
Quartas de finalquinta 10/08/23sexta 11/08/23sábado 12/08/23  
Semifinal 1terça 15/08/23Semifinal 2quarta 16/08/23
3º e 4ºsábado 19/08/23Finaldomingo 20/08/23

Quarta-feira, 16 de agosto: Inglaterra supera as Matildas

Partida

Resultado

Austrália x Inglaterra

1-3

Austrália 1 - 3 Inglaterra

Foi um jogaço, mas a superioridade da Inglaterra acabou com as esperanças das anfitriãs, perante um estádio lotado com 75.748 torcedores. As Matildas se despedem da competição, após derrota por 3 a 1, contra umas Lionesses que dominaram a partida, e souberam aproveitar erros cruciais das australianas com eficiência. 

Aos 36 minutos, a Inglaterra abriu o placar em jogada típica. Lauren Hemp trabalhou a bola na direita até achar Alessia Russo na linha de fundo, que fez o passe para trás para Ella Toone, que estava desmarcada dentro da área. De primeira, a camisa 10 inglesa acertou um chute forte, de pé direito, no ângulo da goleira Mackenzie Arnold. 

Após o intervalo, a Austrália saiu em busca do empate e o astro do time, Sam Kerr, titular pela primeira vez neste mundial, brilhou. Aos 18 minutos, em contra-ataque, Mary Fowler lançou para Kerr, que arrancou em direção ao gol de Mary Earps. De fora da área, ela acertou um chute preciso ao ângulo esquerdo, fora do alcance da goleira. 

Perante um estádio eufórico, as Matildas viveram seu melhor momento da partida, pressionando mais. No entanto, as inglesas mantiveram o controle e aproveitaram uma falha coletiva da Austrália. 

Millie Bright lançou longo no setor defensivo, Lauren Hemp recebeu, venceu o duelo com Ellie Carpenter, e bateu, entre duas marcadoras, para recolocar as inglesas em vantagem. 

A Austrália manteve a pressão e Kerr desperdiçou boas chances, de cabeça e em um chute de primeira, da entrada da pequena área. 

Como quem não faz leva, a Inglaterra aproveitou novo erro das Matildas para matar a partida a cinco minutos do final. Hemp partiu em contra-ataque, e em novo vacilo da zaga australiana, serviu Alessia Russo, que estava livre na direita. A camisa 23 inglesa chutou cruzado para o canto, indefensável, e consagrou a classificação. 

Assim, a Inglaterra chega pela primeira vez a uma final da Copa do Mundo, onde vai enfrentar a Espanha, no domingo.

Terça-feira, 15 de agosto: Espanha é a 1ª finalista

PartidaResultado
Espanha x Suécia2-1

Espanha 2 – 1 Suécia

As espanholas fizeram história ao alcançar a decisão do Mundial Feminino pela primeira, após vencer a Suécia em uma partida muito disputada, altamente técnica e cujo resultado só começou a se definir na fase final. 

A equipe de Jorge Vilda superou todas as expectativas e venceu um adversário com muito mais experiência, que já tinha sido semifinalista eliminada em outras três ocasiões (1991, 2011, 2019) e finalista em 2003. 

A Espanha tentou segurar o meio-campo e defender com a bola, mas a Suécia jogava com duas linhas de quatro muito compactas que impediram com sucesso as transições rápidas da Espanha, resultando em um primeiro tempo com poucas chances. 

Já no segundo tempo, a grande força da Fúria voltou a ser seu potencial ofensivo, que faz dela a equipe com mais gols no torneio. 

Salma Paralluelo, que tinha entrado apenas no segundo tempo a substituir Alexia Putellas, abriu o placar a favor da Espanha, aos 81 minutos, e merece destaque. Aos 19 anos, a atacante do Barcelona, já tinha vindo do banco de reservas para marcar o gol de classificação nas quartas de final, frente à Holanda, e voltou a ser determinante. 

No entanto, as suecas chegaram ao empate aos 88 minutos, com gol de cabeça de Rebecka Blomqvist, fazendo valer a especialidade no jogo aéreo. A Espanha reagiu de imediato e apenas minuto e meio depois, em jogada estudada de escanteio, Olga Carmona bateu colocado e anotou o gol da vitória. 

Em um final frenético, a Suécia se despede ada competição, enquanto as espanholas esperam adversária para a decisão, que irá sair do confronto entre a co-anfitriã Austrália e a campeã europeia Inglaterra. Vale notar que em qualquer caso, a Copa do Mundo de 2023 terá uma campeã inédita. 

Alexia Putellas retorna à titularidade 

Considerada a melhor jogadora do mundo, Putellas não poderia ficar de fora desse encontro histórico, por isso, depois de ficar de fora nas oitavas e nas quartas de final, a jogadora do Barcelona recuperou a titularidade. 

Seu desempenho nesta Copa do Mundo tem sido muito discreto, ainda recuperando de lesão, mas ela é um ponto de referência para a equipe dentro e fora do campo, e por isso Vilda a escalou.

Sábado, 5 de agosto: Espanha e Japão confirmam poder ofensivo

Partidas

Resultados

Suíça x Espanha 

1-5

Japão x Noruega

3-1

Suíça 1-5 Espanha

A Espanha faz história e se confirmou como uma das favoritas ao título mundial, com odds de 4,5, após golear a Suíça na madrugada deste sábado. Com este resultado, La Roja garante presença nas quartas de final do torneio pela primeira vez, e vai enfrentar o vencedor do confronto entre Holanda e África do Sul, que se realiza esta noite, às 23h00 de Brasília.

No Eden Park, o poder ofensivo de La Roja foi mais uma vez evidente, apesar de Jorge Vilda ter feito cinco alterações ao elenco da última rodada da fase de grupos. Foram 11 escanteios, 26 chances para finalizar, 10 arremates ao alvo e cinco tentos certeiros para balançar as redes suíças. Fácil perceber que o jogo se disputou maioritariamente na área de La Nati, com as espanholas tendo 70% de posse de bola.

Aitana Bonmatí, o grande destaque da partida, abriu o placar logo aos cinco minutos. Pouco depois, um lance inacreditável, a Suíça conseguiu o empate, mesmo sem fazer qualquer remate para gol no primeiro tempo do encontro. Isto porque Laia Codina recuou e, sem olhar, chutou forte para o próprio gol, batendo a goleira Cata Coll, que estava adiantada.

A Fúria não se abalou e manteve o controle, recuperando a vantagem aos 17 minutos com um cabeceio de Alba Redondo, após desvio de Aitana, que voltou a brilhar aos 36, fazendo seu segundo tento do jogo. Mesmo antes do intervalo, Codina se redimiu do erro anterior e registou o 4-1.

No segundo tempo, as espanholas mantiveram a pressão, não dando descanso à goleira Gaelle Thalmann, que defendeu todas as investidas.

Aos 52 minutos, La Nati teve chance de reduzir, mas Terchoun rematou direto para Coll, enquanto a Roja foi mais uma vez eficaz, fechando o resultado aos 70, por intermédio da meia veterana, Jennifer Hermoso.

A vitória contundente das espanholas são um aviso às outras seleções em prova, já que ninguém esperava uma resposta tão boa depois da derrota sofrida frente às japonesas, mas as comandadas de Vilda conseguiram dar a volta com uma forte exibição frente a um adversário que ainda não tinha sofrido nenhum gol na competição.

Japão 3-1 Noruega

O Japão continuou sua ótima campanha, batendo a Noruega para cravar vaga nas quartas de final do torneio.

Como esperado, a seleção nipônica saiu para cima, com muita pressão ofensiva e teve chances bem perigosas de inaugurar o placar, com um chute de longe de Miyazawa aos oito minutos e pouco depois, um cabeceio de Endo, que a defesa da Noruega tirou em cima da linha. 

Aos quinze minutos, as japonesas ficaram mesmo na frente. Miyazawa cruzou, Engen tentou afastar, mas acabou desviando a redonda contra o próprio gol.

O choque fez a Noruega reagir e cinco minutos depois, em uma descida rápida pela direita, Graham Hansen cruzou para Reiten, que empatou a partida com um gol de cabeça.

No entanto, as japonesas se recuperaram e mantiveram o controle da bola e do jogo, criando boas chances de remate ao gol até ao intervalo.

No segundo tempo, a pressão nipônica continuou e as Nadeshiko ficaram de novo à frente no placar, logo aos cinco minutos, graças a mais uma falha defensiva das nórdicas, que tiraram mal a bola, colocando nos pés de Shimizu, que dentro da área não desperdiçou. 

Com o tempo a passar, a Noruega tentou mais uma vez a reação e teve duas excelentes chances de fazer o gol de empate, mas o Japão se manteve implacável e aos 36 minutos, acabou com as esperanças das Gresshoppene. Um bom passe de Nagano para Miyazawa, que recebeu, carregou e bateu a bola rasteiro, para estabelecer o resultado final e garantir passagem às quartas de final. 

Com este resultado, o Japão confirma seu bom momento e sobe na tabela de favoritas ao título, tendo agora odds de 7,00 para se sagrar campeã mundial pela segunda vez na história (venceu em 2011 e foi finalista em 2015). 

O próximo confronto está marcado para sexta-feira, dia 11 de agosto, às 4h30 de Brasília, contra a vencedora do duelo entre Estados Unidos e Suécia, onde as bicampeãs mundiais são favoritas.

Quinta-feira, 3 de agosto: Alemanha - outro grande se despede

Partidas

Resultados

Coreia do Sul x Alemanha 

1-1

Marrocos x Colômbia

1-0

Coreia do Sul 1-1 Alemanha, Grupo H, 3ª rodada 

Há apenas um ano, a Alemanha disputou a final da Eurocopa, onde perdeu para a Inglaterra na prorrogação, saindo do torneio com prestações de altíssimo nível da DFB-Frauen. Hoje a realidade foi bem diferente, sendo eliminada da Copa do Mundo ainda na fase de grupos, pela primeira vez na sua história. 

Na primeira rodada, a seleção europeia goleou Marrocos por 6 a 0, mas o desastre começou a se definir no jogo seguinte, quando perderam para a Colômbia. A decisão ficava adiada para a derradeira rodada, mas a Alemanha não conseguiu melhor do que um empate frente à lanterninha do Grupo, Coreia do Sul, que assim conseguiu seu primeiro gol e ponto nesta edição da competição. 

As comandadas de Martina Voss-Tecklenburg foram do mais ao menos e se despedem assim da Copa do Mundo, tal como as adversárias.

Na partida de quinta-feira, a Coreia do Sul partiu para cima desde o apito inicial. A surpresa resultou e a seleção asiática abriu o placar aos cinco minutos, graças a um gol de Cho So-Hyun. Em busca do resultado, o restante jogo foi bem diferente, com a Alemanha dominando, criando jogadas ofensivas, mas sem chances claras de gol. Eventualmente o empate chegou, quase ao intervalo, pela cabeça de Alexandra Popp. 

Em uma segunda parte cheia de nervos e imprecisões, as germânicas marcaram o segundo, mas foi invalidado pelo VAR por fora de jogo de Popp. A total posse de bola alemã continuava, mas a Coreia do Sul se defendeu com unhas e dentes para não sair de mãos vazias no torneio e acabou segurando o empate até ao final, ditando a despedida de ambos os times, com Colômbia e Marrocos passando à fase seguinte.

Marrocos 1-0 Colômbia, Grupo H, 3ª rodada

Reynald Pedros e sua equipe fazem história ao garantir vaga na próxima fase desta Copa do Mundo, apesar de esta ser sua primeira participação no torneio. 

Após a pesada derrota no jogo de estreia, ninguém podia prever o que aí vinha, mas as Leoas do Atlas cravaram duas vitórias que mantiveram vivo o sonho de uma equipa que sabe sofrer em campo e que não diminui sua intensidade ao longo dos noventa minutos de cada partida. 

Frente à líder do Grupo, Colômbia, Marrocos mostrou mais uma vez sua determinação, sobrevivendo aos ataques de Linda Caicedo e companhia e chegou ao intervalo em vantagem graças a um gol já no tempo extra. 

Aos 47 minutos, ainda na primeira parte, Daniela Arias cometeu falta sobre Ibtissam Jraidi na área e foi assinalado o pênalti. Pérez defendeu o chute de Ghizlane Chebbak, mas Anissa Lahmari recuperou a bola e rematou para o fundo das redes colombianas. 

O segundo tempo foi um jogo de nervos, onde a Colômbia manteve o domínio do jogo ofensivo e Marrocos defendeu heroicamente para segurar o resultado. No final, o placar não sofreu alterações e a seleção africana explodiu de alegria ao saber do empate da Alemanha, que selou sua histórica passagem às oitavas, onde terão pela frente a França, na terça-feira, 8 de agosto.

Domingo, 30 de julho: Noruega garante vaga com goleada e Colômbia surpreende Alemanha

Partidas

Resultados

Coreia do Sul x Marrocos

0-1

Noruega x Filipinas

6-0

Suíça x Nova Zelândia

0-0

Alemanha x Colômbia

1-2

Coreia do Sul 0-1 Marrocos, Grupo H, 2ª rodada 

Estreante em Copas do Mundo, Marrocos fez história ao cravar sua primeira vitória e tem chances de se classificar para as oitavas. 

Aos seis minutos da partida as Leoas do Atlas se adiantaram no marcador, graças ao gol de cabeça de Ibtissam Jraidi, resultado que seguraram até ao final, apesar do domínio sul-coreano no segundo tempo. 

Mesmo com zero pontos após dois jogos, a Coreia do Sul ainda tem matematicamente chances de se classificar, caso vença a Alemanha e Marrocos perca com a líder do Grupo, a Colômbia, na derradeira rodada. 

Noruega 6-0 Filipinas, Grupo A, 2ª rodada 

Depois uma derrota e um empate nesta Copa, a Noruega atropelou as Filipinas para cravar vaga no mata-mata à frente da adversária e da Nova Zelândia. 

O time nórdico chegou a esta terceira rodada com um ponto e sem ter marcado nenhum gol, mas goleou a seleção filipina por 6-0 para subir ao segundo lugar da tabela, e ultrapassar a co-anfitriã do torneio, por vantagem no saldo de gols. 

A grande estrela do jogo foi Sophie Haug, inaugurando o marcador aos seis minutos e dilatando a vantagem nórdica 11 minutos depois. Graham Hansen, com um chute de longe, marcou o 3 a 0 com que a seleção europeia chegou ao intervalo. 

No segundo tempo, Alicia Barker marcou no seu próprio gol e Guro Reiten assinou o quinto, de pênalti. As esperanças filipinas acabaram de vez, aos 67 minutos, com a expulsão de Sofia Harrison e no tempo extra ainda houve tempo para Hau fazer o hat-trick e selar a goleada. 

Suíça 0-0 Nova Zelândia, Grupo A, 3ª rodada 

Foi uma rodada dramática no Grupo A, com a Nova Zelândia perdendo a vaga para as oitavas de final no saldo de gols. 

O jogo frente à Suíça foi equilibrado, com o time da casa sendo mais ofensivo em busca do resultado, mas sem grande perigo, conseguindo apenas três chutes ao gol em 12 arremates. 

Já a seleção europeia fez um jogo tático, consciente de que precisava de apenas um ponto para garantir a classificação.

Foi um resultado decepcionante para a co-anfitriã, que se torna a primeira equipe nessa condição a cair na fase de grupos. 

Alemanha 1-2 Colômbia, Grupo H, 3ª rodada 

Provando que o domínio de jogo pode ser irrelevante, a Colômbia bateu a Alemanha e subiu à liderança do Grupo H, colocando um pé no mata-mata. 

A Alemanha controlou a redonda durante 68% da partida, mas não foi tão eficaz ofensivamente quanto as sul-americanas, conseguindo apenas dois chutes para gol em 14. 

A jovem revelação colombiana Linda Caicedo inaugurou o placar aos 52 minutos, com um belíssimo gol, obrigando a bi-campeã mundial Alemanha a reagir e a aumentar sua pressão ofensiva. 
 

Num final de partida dramático, a goleira Perez fez falta na área sobre a meia Oberdorf aos 89 minutos e a capitã alemã, Alexandra Popp, converteu o pênalti que igualou o placar. As germânicas respiraram de alívio, mas cedo demais, já que na última jogada da partida (minuto 97), Manuela Vanegas sobe e cabeceia o escanteio de Leicy Santos para o fundo das redes alemãs, cravando uma incrível vitória. 

Agora, a Colômbia lidera o grupo com seis pontos, seguida da Alemanha e Marrocos, ambas com três, e da Coreia do Sul na lanterna, com zero. As vagas ficarão decididas apenas na rodada final, na quinta-feira, 3 de agosto.

Sexta-feira, 28 de julho: Inglaterra cumpre favoritismo

Partidas

Resultados

Argentina x África do Sul

2-2

Inglaterra x Dinamarca

1-0

China x Haiti

1-0

Argentina 2-2 África do Sul, Grupo G, 2ª rodada 

Ambas as equipes chegaram a esta segunda rodada sem pontos e precisando vencer. Com estratégias diferentes para buscar o resultado, os times nos deram um empate com vários gols e mantiveram vivas suas esperanças para mais uma rodada. 

A Argentina dominava a redonda, mas não chegava com acerto no gol de Kaylin Swart e acabou pagando por isso. As Banyana Banyana inauguraram o placar aos 30 minutos, quando estava passando por seu pior momento, em um contra-ataque que, após ser revisado pelo VAR, foi validado como gol. 

No segundo tempo, a situação se repetiu. Em uma jogada sem perigo aparente, Seoposenwe roubou a bola de Cometti e deu a assistência para Kgatlana chutar à queima-roupa. Foi um duro golpe para a Argentina que continuava dominando o jogo. 

No entanto, quando faltavam apenas quinze minutos para o final do jogo, tudo mudou. Em apenas cinco minutos La Albiceleste chegou à igualdade. Primeiro por Sophia Braun de fora da área e depois com uma cabeçada certeira de Romina Núñez. 

Inglaterra 1-0 Dinamarca, Grupo D, 2ª rodada 

A Inglaterra fez jus à sua fama de favorita e se classificou matematicamente para as oitavas de final da Copa do Mundo, frente à Dinamarca. 

As Lionesses começaram bem e logo aos seis minutos Lauren James mostrou seu talento, chutando de pé direito de fora da área para colocar a equipe comandada por Sarina Wiegman à frente no placar. 

Em vantagem e com a posse de bola controlada, as inglesas dificultaram o caminho às nórdicas, que batalharam durante todo o jogo para entrar na área da Inglaterra, mas não conseguiram vazar sua sólida e fechada defesa. 

Antes do intervalo, as Lionesses perderam a meia Keira Walsh, que se lesionou no joelho, após uma tentativa de interceptação de passe. A jogadora mais cara do mundo precisou sair de campo de maca e vai agora ser avaliada pelo departamento médico estando em dúvida para o resto do torneio.

No segundo tempo, a situação não se alterou, com muito controle das inglesas e poucas opções das dinamarquesas, que assustaram apenas em uma ocasião, quando Amalie Vangsgaard, jogadora do PSG, chute à trave. 

Uma das favoritas ao título mundial, a Inglaterra voltou a não conseguir melhor do que o resultado mínimo, mas que foi suficiente para olhar para seu futuro no torneio com mais tranquilidade.

China 1-0 Haiti, Grupo D, 2ª rodada

Jogo dramático entre os dois times azarões da chave D, que termina com a vitória chinesa após desfecho polêmico. 

A China começou como favorita contra o Haiti, mas o cartão vermelho dado a Zhang Rui aos 29 minutos da partida tornou a situação muito difícil para as asiáticas. O Haiti estava subjugado até então, e continuou sem arriscar até ao intervalo. 

No segundo tempo, as haitianas ganharam força e partiram em busca do resultado, chegando com perigo à área adversária, mas a sorte estava do lado do time chinês. Um pênalti convertido por Wang Shuang colocou a China à frente no placar a apenas quinze minutos do final do encontro. 

Com muitos passes errados, as caribenhas pareciam não se encontrar e já no tempo extra surgiu a polêmica. A árbitra espanhola Marta Huerta de Aza assinalou um pênalti de Chien Qiaozhu sobre Eloissaint, mas descartou sua decisão após verificar no VAR. 

Assim, a China chegou aos três pontos, em igualdade de pontos e saldo de gols com a Dinamarca e mantém chances de avançar ao mata-mata da competição.

Terça-feira, 25 de julho: Filipinas surpreende

Partidas

Resultados

Colômbia x Coreia do Sul

2-0

Nova Zelândia x Filipinas

0-1

Suíça x Noruega

0-0

Colômbia 2-0 Coreia do Sul, Grupo H, 1ª rodada

As colombianas não podiam ter estreado de melhor maneira nesta Copa do Mundo no Sydney Football Stadium.

A Coreia do Sul até entrou melhor no jogo, com boas chances que trouxeram perigo para a defesa das "Meninas Superpoderosas". 

Uma bola na mão da zagueira coreana Shim Seoyeon levou ao pênalti que a veterana Catalina Usme marcou para inaugurar o placar. E apenas nove minutos depois, a jogadora revelação da Colômbia e atleta do Real Madrid, Linda Caicedo, construiu uma jogada individual pela esquerda e de fora da área chutou para o gol. A goleira asiática Yoon Younggeul defendeu, mas não segurou a redonda que acabou no fundo das redes pouco antes do intervalo. 

Estava selado o resultado final, mas não por falta de tentativa da Coreia do Sul que, no segundo tempo, avançou um pouco, determinada a virar o resultado e teve boas chances, mas as comandadas de Nelson Abadía controlaram o resultado a partida. 

De destacar ainda um momento histórico na partida. Com apenas 16 anos, Casey Phair saiu do banco sul-coreano para se tornar a mais jovem atleta de sempre a disputar o Mundial. 

Com bom futebol e com suas melhores jogadoras brilhando desde o início, a seleção colombiana ocupa o segundo lugar da chave, atrás da Alemanha, por desvantagem no saldo de gols, e está bem lançada para tentar passagem às oitavas de final. 

Nova Zelândia 0-1 Filipinas, Grupo A, 2ª rodada

Na Copa da Ásia do ano passado, as Filipinas, determinadas e combativas, terminaram entre os quatro primeiros colocados do torneio pela primeira vez em sua história. 

Este ano, a garra continua e na segunda rodada de sua estreia na Copa do Mundo Feminina, conseguiram uma vitória fundamental para seu sonho de chegar no mata-mata e logo contra uma das seleções anfitriãs. 

A Nova Zelândia estava melhor na partida, mas aos 24 minutos Sarina Bolden escreveu seu nome na história do futebol filipino ao marcar o primeiro gol em uma Copa do Mundo. 

Após falta cobrada na área, Sara Eggesvik aproveitou alguma confusão da defesa neozelandesa e cruzou para a camisa 7 que, de cabeça, fez o gol que surpreendeu o Sky Stadium, em Wellington. 

Com o apoio de 32.357 torcedores, o time da casa controlou a posse de bola e foi para cima, mas as Filipinas aguentaram a pressão, muito graças às boas defesas da goleira Olivia Davies-McDaniel e conquistaram três pontos históricos. Assim, estão igualadas em pontos com a Nova Zelândia, atrás da Suíça, que tem apenas mais um, e à frente da Noruega, que vão defrontar no domingo.     

Suíça 0-0 Noruega, Grupo A, 2ª rodada 

A Noruega continua sem vencer na Copa do Mundo e o cenário está ficando negro para as Gresshoppene. Para terem chances de se classificar para a próxima fase, elas estão obrigadas a vencer as Filipinas na terceira rodada e mesmo assim ficam dependentes do resultado do encontro entre Suíça e Nova Zelândia. 

Antes mesmo da bola rolar, o time nórdico perdeu a craque Ada Hegerberg, que sentiu dores na virilha e teve de ser substituída no elenco.

Em um primeiro tempo com chuva, o jogo esteve equilibrado e sem grandes chances, algo que melhorou após o intervalo e principalmente graças às substituições no time norueguês. 

A partida ficou então mais aberta, mas o nervosismo em busca do gol era claro também. A Noruega teve excelentes chances, pelos pés de Sophie Haug, Graham Hansen e Frida Maanum, mas nenhuma conseguiu superar a goleira suíça Gaelle Thalmann. 

La Nati ia respondendo em contra-ataque, mas sem demasiado perigo para a meta norueguesa e o jogo terminou sem gols, beneficiando mais as suíças do que as norueguesas.

A boa defesa da Suíça deixou claro que não será fácil derrubá-las do primeiro lugar do grupo.

Sábado, 22 de julho: Japão faz goleada, Inglaterra e Dinamarca cumprem

Partidas

Resultados

Zâmbia x Japão

0-5

Inglaterra x Haiti

1-0

Dinamarca x China

1-0

Zâmbia 0-5 Japão, Grupo C

Em partida válida pelo Grupo C, o Japão atropelou completamente a estreante Zâmbia. Apesar de ter dois gols anulados, as nipônicas golearam as adversárias por 5 a 0, no Waikato Stadium, na Nova Zelândia, e cravaram a vitória mais alargada do torneio até agora. 

Hinata Miyazawa bisou, enquanto Mina Tanaka, Jun Endo e Riko Ueki balançaram as redes uma vez cada para fechar o placar. 

Assim, a seleção asiática assume a liderança do grupo com larga vantagem no saldo de gols, e mostra que chegou com vontade de lutar por seu segundo título mundial, que já conquistou em 2011. 

Inglaterra 1 - 0 Haiti, Grupo D 

A Inglaterra estreou com vitória, mas não teve uma prestação totalmente convincente e sofreu para superar o Haiti na partida inaugural do Grupo D. 

Depois de conquistarem a Eurocopa em 2022, as inglesas chegaram a esta Copa como uma das favoritas ao título, mas depois deste resultado caíram para terceiro lugar e têm apenas 6,50 de odds de levantar seu primeiro troféu mundial. 

Estreante no torneio, a seleção haitiana apresentou uma defesa organizada e resiliente, caindo apenas devido ao pênalti apontado por Georgia Stanway aos 29 minutos da partida e mostrou talento para conseguir pelo menos um ponto na competição. 

As Lionesses foram superiores e controlaram a redonda durante todo o jogo, com 75% de posse de bola, mas tiveram muitas dificuldades para superar o bloco defensivo do Haiti apesar dos 21 arremates e 11 chutes ao gol. 

Dinamarca 1 - 0 China, Grupo D 

Em seu regresso à Copa do Mundo Feminina após estar ausente nas últimas três edições, a Dinamarca iniciou sua campanha com uma vitória magra contra a China. 

A vitória chegou mesmo no finalzinho da partida, pela cabeça de Amalie Vangsgaard. No HBF Park, a atacante do Paris Saint-Germain marcou o único gol da partida e empatou a seleção dinamarquesa no topo da tabela da chave D, com a Inglaterra. 

O resultado traduz um pouco do que foi a partida, com pouca criatividade ofensiva, especialmente no primeiro tempo. A seleção europeia pressionou mais após o intervalo, mas a retranca chinesa resistiu até ao minuto 89.  

Vale notar que este duelo interrompeu a sequência de oito pênaltis assinalados em jogos consecutivos, um recorde entre Mundiais masculinos e femininos.

Sexta-feira, 21 de julho: Canadá escorrega, Suíça, Espanha e EUA não falham

Partidas

Resultados

Nigéria v Canadá

0-0

Filipinas x Suíça

0-2

Espanha x Costa Rica

3-0

EUA x Vietnã

3-0

Nigéria 0-0 Canadá, Grupo B

A atual campeã olímpica controlou a partida durante os noventa minutos, mas não conseguiu levar a melhor sobre a Nigéria. 

O Canadá segurou os perigosos contra-ataques que Asisat Oshoala e companhia conseguiram concretizar mostrando o bom nível defensivo que as Maple Leafs possuem, mas não conseguiram concretizar nenhuma das chances ofensivas que geraram. 

No segundo tempo, o time canadense intensificou sua pressão e teve as melhores chances, mas desperdiçou uma oportunidade de ouro cinco minutos após o reinício, com Christine Sinclair falhando um pênalti. Isso aumentou os nervos das comandadas de Bev Priestman, que não conseguiram ir além do empate a zeros. 

Já a Nigéria lutou como pode e foi recompensada com um muito importante ponto, em um grupo B onde alinham também Austrália e República da Irlanda. 

Filipinas 0-2 Suíça, Grupo A 

A Suíça cumpriu contra uma complicada seleção filipina que deixou melhor impressão do que o resultado indica. 

La Nati dominou e teve paciência para aguentar a partida contra um adversário que não cedeu a bola, apesar de não ter muitas chances. As suíças estiveram sempre perto do gol defendido por Olivia McDaniel e as chances se sucederam com a dupla Crnogorcevic / Bachmann tendo chances claras. 

O gol do time europeu chegou pouco antes do intervalo, na conversão de um pênalti, facilitando as coisas e restaurando um pouco da moral do elenco suíço. 

O segundo tempo foi uma cópia do primeiro, com a Suíça saindo para cima e tentando continuamente quebrar a defesa filipina. A recompensa desses esforços chegou aos 64 minutos, quando a jogadora do Zurique, Seraina Piubel, marcou o segundo e último tento da partida. 

As Filipinas estrearam em uma Copa do Mundo e deixaram claro que sua melhora é cada vez maior, como tem mostrado em torneios asiáticos e que seu bloco defensivo pode causar problemas aos outros times desta chave A, Noruega e Nova Zelândia. 

Espanha 3-0 Costa Rica, Grupo C 

A equipa orientada por Jorge Vilda começou da melhor forma a sua participação na competição ao vencer a Costa Rica que deixou evidentes suas falhas. 

A partida ficou resolvida ainda na primeira parte e em apenas oito minutos. O placar foi inaugurado aos 21 minutos por Valeria del Campo, em seu próprio gol, seguindo-se tentos de Aitana Bonmatí e Esther González (aos 23 e 27 minutos). 

A vantagem podia ter sido ampliada ainda mais, quando Jenni Hermoso falhou um pênalti, e La Roja mostrou que, apesar de sua inexperiência significativa no torneio, vai lutar para chegar longe e tem um elenco com atletas que podem fazer a diferença. 

A primeira delas é Aitana Bonmatí, que não brilhou constantemente, mas deixou bons detalhes, melhorando as jogadas, e criando momentos importantes cada vez que tocava na bola. 

A segunda nota vai para Esther González que em pouco mais de uma hora em campo mostrou se faro de gol e foi fundamental no ataque, fechando o placar da partida. 

Além disso, a duas vezes Bola de Ouro, Alexia Putellas, foi suplente e dispôs de cerca de 15 minutos para o final do encontro. Ao que tudo indica, a intenção de Jorge Vilda é que ela jogue um pouco mais a cada encontro, com muita cautela, para estar pronta e apta para a fase de mata-mata e luta pelo do título.

EUA 3 - 0 Vietnã, Grupo E

Com total domínio, as atuais bicampeãs mundiais bateram o Vietnã e mostraram porque são favoritas a conquistar o título pela quinta vez na história. 

A seleção asiática, estreante na competição, quase não passou do meio de campo e conseguiu apenas um chute no gol. Ainda assim, perante a força americana, fez um jogo bastante digno e mostrou capacidade defensiva capaz de causar problemas às restantes adversárias. 

No elenco vietnamita se destacou a goleira Kim Thahn que defendeu o pênalti apontado por Alex Morgan, aos 43 minutos do primeiro tempo, quando o placar ainda estava em 1 a 0. 

A meia Sophia Smith não só abriu o marcador, como registou também o segundo gol do time antes do intervalo. No segundo tempo o domínio americano continuou e a capitã Lindsey Horan selou o resultado aos 77 minutos do encontro. 

Outro destaque da partida foi o fato da atacante Megan Rapinoe ter entrado no segundo tempo para assim disputar seu 200º jogo com as cores da seleção dos EUA.

Quinta-feira, 20 de julho: Nova Zelândia surpreende, Austrália cumpre

Partidas

Resultados

Nova Zelândia x Noruega 

1-0

Austrália x República da Irlanda

1-0

A redonda já rola na Copa do Mundo Feminina de 2023 e houve surpresa logo no encontro de abertura do torneio, o que é um início bem interessante para um campeonato que se espera acirrado e com muitos gols.

Nova Zelândia 1-0 Noruega

Foram dois momentos históricos para a seleção da Nova Zelândia. Não só o time conquistou sua primeira vitória em Copas do Mundo de futebol feminino em sua sexta participação, como bateu o recorde de presentes em uma partida de futebol na história do país, entre homens e mulheres, clubes e seleções.

Ao todo, 42.137 mil pessoas assistiram à primeira surpresa dessa Copa do Mundo no Eden Park, em Auckland, onde as co-anfitriãs do torneio conquistaram os três pontos contra uma Noruega que não conseguiu superar a defesa Kiwi e se deixou abater pela pressão e vontade das adversárias.

As Football Ferns conseguiram ditar o ritmo da partida e a vitória chegou no início do segundo tempo pelos pés de Hannah Wilkinson, que finalizou com sucesso uma jogada estudada da equipa comandada por Jitka Klimková.

Jacqui Hand saiu em contra-ataque pela ala direita e cruzou para a pequena área onde a artilheira já esperava para chutar de primeira para o fundo das redes. A Nova Zelândia ainda teve chance de aumentar a diferença aos 88 minutos quando, após análise do VAR, foi atribuído um pênalti contra a Noruega por mão na bola de Tuva Hansen, mas a volante Ria Percival, do Tottenham, não converteu.

A Nova Zelândia tem assim renovadas suas esperança de conseguir superar a fase de grupos, já que suas duas próximas partidas são contra rivais mais acessíveis.

Por seu lado, a Noruega tem de se reorganizar e vencer os próximos jogos se não quiser ser eliminada nesta fase da competição pela segunda vez na sua história.

Austrália 1-0 Irlanda

No estádio Stadium Australia, em Sydney, também se estabeleceu novo recorde de público, com 75.748 torcedores presentes para assistir à vitória da Austrália sobre a República da Irlanda, em um jogo muito disputado.

O time da casa entrou em campo sem a capitã e principal jogadora da equipe, Sam Kerr, que se lesionou na panturrilha durante os treinamentos, e tomou a iniciativa durante todo o encontro, mas esbarrou contra o bloco defensivo irlandês.

As irlandesas podem estar se estreando em mundiais, mas chegaram com a lição bem estudada e com uma defesa bem organizada, que não permitiu que as australianas tivessem chances claras de gol e que promete dar trabalho aos restantes times do grupo.

No entanto, as Matildas levaram a melhor e conseguiram os três pontos, aos 52 minutos, graças ao pênalti da lateral-esquerda do Arsenal, Stephany Catley, que alimentou os sonhos de uma equipe que mostrou talento para cravar boas prestações no campeonato.

Vale notar que Kerr vai desfalcar a seleção australiana pelo menos por mais um jogo.

Outro ponto de destaque na partida é o fato de esta ter sido também a estreia da árbitra brasileira Edina Alves no torneio da Fifa.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta

Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.