Pular para conteúdo
ACESSAR Esportes bet365
basquete
  1. Histórias do esporte
  2. NBA

As melhores temporadas de estreia na NBA

Verdadeiras lendas do esporte aparecem na nossa lista dos melhores calouros de sempre da liga americana profissional de basquete.

[Traduzido e adaptado de ''NBA: Best rookie seasons''.]

Após ser o primeiro escolhido no último draft da NBA, o ala-pivô Paolo Banchero, do Orlando Magic, vem sendo considerado desde o início da atual temporada regular o favorito a receber o prêmio Calouro do Ano.

A cria da Universidade Duke marcou pelo menos 20 pontos nos seus primeiros seis compromissos da temporada e apresenta médias de 20,5 pontos, 6,3 rebotes e 3,7 assistências por jogo. O quão representativos são esses números historicamente?

Tendo em mente vencedores anteriores como Michael Jordan, Kareem Abdul-Jabbar, LeBron James, Chris Paul e Luka Dončić, analisamos a partir de agora algumas das melhores temporadas de estreia de todos os tempos na NBA.

Wilt Chamberlain em 1959–60

Ainda em 1959–60, o lendário Wilt Chamberlain teve uma temporada de estreia sem igual pelo Philadelphia Warriors (hoje Golden State Warriors). Com médias de 37,6 pontos e 27,0 rebotes por jogo, Wilt recebeu tanto o prêmio de Calouro do Ano quanto o de MVP.

Em 1962 os Warriors se mudaram para São Francisco, mas em 1965 Chamberlain retornou à Filadélfia para representar os 76ers. Em 1967 ele venceu o primeiro de seus dois campeonatos, e em 1972, já com o Los Angeles Lakers, o segundo.

Lew Alcindor em 1969–70

No início, Kareem Abdul-Jabbar era um excepcional novato chamado Lew Alcindor. Em sua temporada de estreia, com o Milwaukee Bucks, Alcindor ficou em segundo lugar em pontos, com 28,8 por jogo, e obteve uma média de 14,5 rebotes.

Abdul-Jabbar se tornaria o maior pontuador da história das temporadas regulares, com 38.387 pontos na carreira (um recorde que LeBron James está perto de bater), além de ter vencido seis campeonatos e seis prêmios de MVP.

Michael Jordan em 1984–85

Michael Jordan pode muito bem ter sido o maior jogador de basquete de todos os tempos. Ao encerrar a carreira, ele tinha vencido seis campeonatos, seis prêmios de MVP de finais e cinco prêmios de MVP de temporada regular.

Por mais curioso que isso pareça quase quarenta anos depois, o ala-armador foi apenas a terceira escolha do draft da NBA de 1984. O Houston Rockets optou pelo pivô Hakeem Olajuwon, e em seguida o Portland Trail Blazers selecionou o também pivô Sam Bowie.

Ao fim daquela temporada era dolorosamente óbvio o erro que os Blazers haviam cometido. Jordan teve médias de 28,2 pontos, 6,5 rebotes e 5,9 assistências por jogo — além de mais de 50% de acerto em bolas de 2 ou 3 pontos — e foi eleito para o Jogo das Estrelas.

Larry Bird em 1979–80

Larry Bird superou o não menos lendário Magic Johnson na disputa pelo prêmio de Calouro do Ano, marcando o início de uma das grandes rivalidades da história da NBA. E muito disso graças às suas médias de 21,3 pontos e 10,4 rebotes por jogo.

Assim como Jordan, Bird foi eleito para o Jogo das Estrelas em sua primeira temporada na liga. Com ele, o Boston Celtics venceu 32 partidas a mais em relação à temporada anterior e se tornou um candidato ao título da noite para o dia.

Enquanto na campanha anterior os Celtics nem mesmo haviam alcançado a pós-temporada, em 1980 eles chegaram às finais de conferência. E Bird, que se aposentou como tricampeão e três vezes MVP, passaria toda a carreira em Boston.

Blake Griffin em 2010–11

Blake Griffin foi selecionado pelo Los Angeles Clippers como a primeira escolha geral do draft de 2009, mas perdeu toda aquela que deveria ter sido a sua temporada de estreia após sofrer uma lesão em joelho na pré-temporada.

A revelação do Oklahoma Sooners compensou o tempo perdido com um début sensacional: foi titular em todos os 82 jogos dos Clippers na temporada regular e obteve médias de 22,5 pontos e 12,1 rebotes por jogo (e esta última ainda é a sua melhor média na carreira).

Com isso, Griffin repetiu o feito dos três nomes acima ao não vencer o prêmio de Calouro do Ano mas também conquistar uma vaga para o Jogo das Estrelas.

Luka Dončić em 2018–19

A evolução do basquete vem tornando cada vez mais difícil ver calouros causar o mesmo impacto de anos anteriores. Uma das exceções a essa regra foi Luka Dončić, o terceiro do draft de 2018 — e logo envolvido em troca pelo Atlanta Hawks com o Dallas Mavericks.

É verdade que o esloveno já era atleta profissional na Europa havia três anos (com o Real Madrid). Ainda assim, a NBA é um grande passo, e é mais do que justo reconhecê-lo por ter se estabelecido como uma das estrelas da liga americana em sua temporada de estreia.

Dončić teve médias de 21,2 pontos, 7,8 rebotes e 6,0 assistências por jogo, além de ter se tornado o mais jovem jogador na história da NBA a registrar três triplos-duplos. Esse foi um de vários recordes alcançados por ele antes de se tornar o Calouro do Ano.

Artigos Relacionados

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies

Novo na bet365? Obtenha até R$200 em Créditos de Aposta Registre-se

A conta deve estar verificada antes da ativação. Retornos excluem valor de aposta em Créditos de Aposta. São aplicados T&Cs, limites de tempo e exclusões.