Pular para conteúdo
Registre-se
x
  1. Tênis

Tênis: Alcaraz - Cabeça, coração e coragem

Artigo publicado em 27 setembro 2022

Com apenas 19 anos de idade, Carlos Alcaraz subiu ao topo do tênis mundial, conquistando seu primeiro Grand Slam e chegando a número um do ranking.

Chovem elogios ao talento do espanhol que quando tinha 16 anos já afirmava: "Eu quero ser o número um do mundo", um sonho agora concretizado.

O jovem tem odds de 7/2 para ganhar o próximo evento Grand Slam, o Aberto da Austrália de 2023, e também odds de 7/2 para defender seu título do Aberto dos EUA no próximo ano. Mas agora, é altura de o deixar desfrutar da glória, antes dos próximos grandes desafios, principalmente porque seu treinador, Juan Carlos Ferrero, garante que o jovem está apenas “em 60% de seu potencial" e que ainda tem muito espaço para melhorias.

O início da carreira

Carlos Alcaraz Garfia nasceu em 5 de maio de 2003, em El Palmar, Espanha, e começou a jogar tênis no Real Sociedad Club de Campo de Murcia onde seu pai era o diretor da academia de tênis.

Em 2018, ele se juntou à academia de Juan Carlos Ferrero e virou profissional. Dois anos depois, em fevereiro, Alcaraz estreou na quadra principal da ATP, com um wildcard para o sorteio principal dos simples no Rio Open.

Carlitos entrou no top 100 mundial, em maio de 2021, antes de disputar o Aberto da França, onde furou o quali para chegar na terceira rodada. No saibro de Umag conseguiu seu primeiro troféu de ATP, que o ajudou a ir para o 55º posto, e mostrou talento também sobre a quadra dura, com semi em Winston-Salem e quartas no US Open, terminando a temporada como 32º do mundo.

Ascensão meteórica

Já nesta temporada, a conquista do Rio Open, seu primeiro título de categoria 500, foi o passaporte para o top 20. As vitórias nos Masters 1000 de Miami, onde derrotou três dos 10 melhores do mundo - Stefanos Tsitsipas, Hubert Hurkacz e Casper Ruud, e de Madri, o elevaram ao sexto posto do ranking. Nesse último, ele bateu Rafael Nadal e Novak Djokovic se tornando o primeiro jogador a vencer as duas superestrelas em partidas consecutivas no saibro.

A ascensão meteórica continuou chegando às quartas de final do Aberto da França e sendo vice-campeão em Hamburgo e Umag para iniciar o US Open como cabeça de chave três.

Aí, e sem perder nenhum set, Carlitos derrotou Sebastian Baez, Federico Coria e Jenson Brooksby para chegar à quarta rodada. Em seguida, vieram épicas batalhas de cinco sets. Alcaraz derrotou Marin Cilic e, nas quartas-de-final, eliminou Jannik Sinner no segundo jogo mais longo (5 horas e 15 minutos) na história do torneio. A vítima seguinte foi Frances Tiafoe antes de enfrentar Casper Ruud na final, onde ambos lutavam pelo título e pelo número um do ranking.

Numa partida equilibrada e difícil, Carlitos se mostrou mais inconstante do que o normal, com erros não habituais e algo cansado, mas fez jus ao moto que seu avô lhe passou e que o jovem publicou nas redes sociais antes de entrar na quadra. Com “cabeça, coração e ‘cojones’”, Carlos Alzaraz fez história neste 11 de setembro de 2022.

Vários recordes numa só vitória

Desde que o ranking ATP começou, em 1973, um total de 28 jogadores o lideraram, mas o jogador de Murcia, tornou- se o mais jovem de sempre a ser número um do mundo, batendo o anterior recorde que Lleyton Hewitt tinha estabelecido em 2001.

JogadorAnoAno como número um
Carlos Alcaraz19 anos, 4 meses2022
Lleyton Hewitt20 anos, 9 meses2001
Marat Safin20 anos, 10 meses2000

Com seu triunfo em Nova York, ele também se tornou o jogador de tênis mais jovem a ganhar um major desde que Nadal conquistou Paris pela primeira vez em 2005, dois dias após seu 19º aniversário, e o mais jovem a ganhar o Aberto dos EUA desde que Pete Sampras o fez em 1990, com 19 anos e 28 dias de idade.

Chuva de elogios

O ex-número um mundial Novak Djokovic reconheceu, já em Maio, o talento do jovem espanhol: “É impressionante a maturidade mental e de jogo que demonstra com somente 19 anos. Creio que todos estamos de acordo que Alcaraz é o futuro do tênis masculino, mas também o presente”.

Uma opinião corroborada por Roger Federer que em entrevista disse “acho que não era tão bom quanto ele com sua idade. Ele parece ter mais clareza, é mentalmente mais forte”.

Mats Wilander, vencedor de sete Grand Slams, também afirmou que Carlos Alcaraz é "mais rápido do que qualquer jogador" que ele "já viu" e que "ele é o pacote completo em todos os aspectos".

A bet365 utiliza cookies

Nós utilizamos cookies para oferecer um serviço melhor e mais personalizado. Para mais informações, consulte a nossa Política de Cookies